A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 16 de Janeiro de 2017

17/07/2015 13:28

Difícil é se esforçar

Por Gabriel Bocorny Guidotti (*)

É muito conveniente abraçar a ideia de que o momento do país é ruim. Eis o motivo perfeito para tapar buracos, isto é, justificar os próprios insucessos. Aos pessimistas, advirto: com esforço e dedicação, há um Brasil que cresce. Diariamente, o suor do trabalhador honesto, nas mais diferentes esferas, demonstra isso. A maior dificuldade não reside num contexto político/econômico ou na complexidade de um ofício. De outro modo, está na capacidade que cada um tem de deixar a zona de conforto.

Veja Mais
Criptografia: de arma de guerra a pilar da sociedade moderna
Sobre a liberação da venda de terras para estrangeiros no Brasil

Recentemente, encontrei um ex-colega da faculdade em um grande shopping de Porto Alegre. Uma pessoa de irretocável índole, cumpre destacar. Ele, assim como todos, sente os efeitos da crise. Em razão da dificuldade de encontrar emprego na sua área, aceitou atuar em uma rede de fast food para um cargo que não exige nível superior. “Preciso sobreviver”, me disse. Naquele reencontro, senti orgulho de tê-lo conhecido.

Muito se fala a respeito da postura predatória das empresas com seus colaboradores. Pouco se fala a respeito de funcionários que trabalham de má vontade, forjam atestados e faltam o serviço pelos mais diferentes motivos. Pessoas que não se empenham, em resumo. Não defendo nenhum projeto de terceirização. Falo do caráter de cada um. Meu colega é um exemplo disso, pois não parou no tempo para reclamar. Foi atrás de seus objetivos, mesmo que fora da área escolhida na faculdade. Teve coragem para seguir em frente e, sem sombra de dúvidas, será recompensado por isso.

A vida não é linear. Nunca foi, pois as oportunidades aparecem dos lugares mais inesperados. Não há como prever o amanhã. Se a atual situação do país é difícil, ficar em casa aguardando o universo acontecer de nada ajuda. Mexa-se! Criticar o Brasil não vai lhe garantir um emprego. Igualmente, fugir para o exterior, correndo à procura de riqueza e bem-estar... Não é bem assim que funciona.

O maior problema das pessoas é a zona de conforto. É muito difícil ter um diferencial. Fácil é apontar a culpa para as mais diversas direções. A vontade representa tudo nesses tempos insanos. O mercado de trabalho está saturado? Abra a própria empresa. Não é empreendedor? Estude para concursos públicos. Os editais estão aí. Há alternativas, a questão é saber quão longe você está disposto a ir por elas. Eu, por exemplo, estou na luta. Nada abala a minha esperança de ser um profissional de sucesso. Desse modo, partilho meu otimismo com você.

(*) Gabriel Bocorny Guidotti, bacharel em Direito e estudante de Jornalismo

Criptografia: de arma de guerra a pilar da sociedade moderna
A estratégia permitiu que vitórias impossíveis pudessem acontecer ao longo da história. São vários os casos de pequenos exércitos vencerem batalhas c...
Sobre a liberação da venda de terras para estrangeiros no Brasil
Terra, capital e trabalho compõem a clássica tríade dos fatores de produção que embasam as análises e cálculos econômicos desde a Economia Política, ...
Inclusão bancária no Brasil
O sistema bancário brasileiro atravessa um momento de aceleração na prestação dos serviços bancários, resultado da estabilidade econômica dos últimos...
Como é saber escutar no mundo digital
A maioria das pessoas sabe ou pelo menos já leu em alguma mensagem que para se comunicar adequadamente é preciso aprender a escutar. Sim, escutar sem...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions