A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017

07/05/2013 13:39

Embrapa: símbolo da eficiência no campo

Por Ruben Figueiró (*)

Na década de 70 o brasileiro usava em média 48% de sua renda com alimentação. Hoje este gasto caiu para 20%. Em 40 anos, a safra de grãos quadruplicou. Hoje somos uma das nações mais importantes na área do agronegócio mundial. Há 40 anos foi criada a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Estes fatos não representam mera coincidência, estão intrinsecamente ligados.

Veja Mais
Hoje eu me lembrei...
Sistema carcerário brasileiro clama por ajuda

Poucas instituições brasileiras gozam de tanto prestígio e reconhecimento quanto a Embrapa. Ela é a grande referência da agropecuária brasileira. A Empresa foi criada por iniciativa de brasileiros visionários, como Luis Cirne Lima, Eliseu Alves e Alysson Paulinelli, que tinham a clareza de que era possível desenvolver no Brasil uma agricultura tropicalizada, de caráter sui generis, descartando, inclusive, o sistema de produção importada das regiões temperadas.

Graças à Embrapa, somos exportadores de peso de grãos, carnes e frutas no cenário internacional. As pesquisas e as inovações tecnológicas são admiradas pela Europa, Estados Unidos e Canadá. A Embrapa é símbolo de inovação, de modernidade, de sustentabilidade, de valorização de parcerias e de visão estratégica de longo prazo. No entanto, precisa de mais recursos orçamentários para ser competitiva no longo prazo e manter-se como instituição científica atualizada tecnologicamente. Enquanto os países desenvolvidos investem cerca de 3% do PIB agropecuário em pesquisas, o Brasil, destina metade disso: 1,5%.

O Mato Grosso do Sul talvez seja a unidade da Federação que mais tenha sido beneficiada pela Embrapa. O Estado trilha os caminhos do crescimento de maneira sustentável, equilibrando exploração econômica com preservação ambiental. Temos três núcleos operatórios: a Embrapa Agropecuária Oeste; a Embrapa Gado de Corte; e a Embrapa Pantanal. Em todos, usufruímos do trabalho extraordinário de pesquisa não só da genética do rebanho ou do melhoramento das sementes, como também da conservação do meio ambiente e da melhoria da qualidade de vida do homem pantaneiro.

Dentre tantos projetos importantes da Embrapa, destaco um que é pioneiro e decorre de uma decisão da conferência de internacional de Copenhagen, na Dinamarca: a promoção do sequestro bruto de carbono de 1,2 milhão de toneladas por ano, o equivalente a 4,3 milhões de toneladas de CO2 anuais por meio da preservação da natureza. É um trabalho persistente que ganha valor específico a cada passo.

Além disso, ressalto que a Embrapa desenvolveu cultivares de soja plenamente adaptados ao solo e ao clima e de alta estabilidade produtiva. O rendimento físico da soja aumentou 90% nas últimas décadas; no do milho, houve um aumento de 64%; e, no do algodão, houve aumento de 139%. O crescimento médio em área de floresta plantada foi de quase 165% em cinco anos. A pecuária de corte cedeu aproximadamente um milhão de hectares aos setores sucroalcooleiros e florestal, mantendo, todavia, seu volume de produção praticamente constante. Também houve a recuperação de pastagens degradadas.

Vários projetos estão sendo desenvolvidos de forma exitosa pela Embrapa Pantanal, garantindo a melhoria genética do rebanho, a introdução de novas tecnologias de produção e controle de doenças e a criação de uma linha especial de crédito por meio do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste, além do projeto que promove o melhoramento genético de quatro espécies nativas de peixes, visando a criar processos para estimular a industrialização para agregar valor ao pescado.

Afirmo sem dúvida de erro ou exagero: o trabalho realizado pelas três Embrapas em Mato Grosso do Sul está sendo essencial para colocar Mato Grosso do Sul no ranking dos melhores lugares para se produzir riquezas e se viver no Brasil.

(*) Ruben Figueiró é senador da República pelo PSDB de MS.

Hoje eu me lembrei...
Nestes tempos conturbados que estamos vivendo, em que muitos buscam um culpado para eximir-se de suas responsabilidades, em que nos esquecemos que no...
Sistema carcerário brasileiro clama por ajuda
O ano começou com uma bomba relógio, que já ‘tic-tateava’ há muitos anos, explodindo. As rebeliões em presídios de todo o Brasil deixaram mais de 120...
Mais um ano difícil
A economia brasileira inicia 2017 com a combinação de otimismo moderado e preocupação. A perspectiva levemente otimista se fundamenta na expectativa ...
A atuação das empresas na era do talentismo
No atual cenário em que vivemos, com crise financeira em diversos países, catástrofes ambientais e diferenças sociais, engana-se quem acredita que es...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions