A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

03/12/2015 16:09

Facebook: diga o que você curte e lhe direi quem tu és

Por Marie Suzuki Fujisawa (*)

Você já deve ter escutado em algum momento de sua vida: Diga com quem tu andas e eu lhe direi quem tu és. Hoje podemos dizer: Diga o que você curte e quais amigos você tem no Facebook que eu lhe direi quem tu és.

Veja Mais
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo

Pesquisas realizadas pela Universidade de Cambridge conseguiram avaliar por meio dos likes do Facebook a personalidade do indivíduo e, caso o mesmo concorde em participar da pesquisa, predizer quais as orientações políticas, idade, QI e orientações sexuais do participante. Se você quiser fazer um teste, acesse: www.youarewhatyoulike.com, que significa: você é o que você curte. E conheça um pouco mais sobre você e seus amigos.

E o que tudo isso tem a ver com marketing? Com o advento das novas tecnologias, conhecer o consumidor e saber o que ele curte é fundamental para sua sobrevivência. Atualmente, o consumidor não tem tempo e não assiste aos comerciais, a interatividade faz com que só vejamos o que queremos e, por esta razão, desenvolver mecanismos que estimulem o consumo é o grande desafio do marketing e das agencias de comunicação.

Como isso funciona? Já percebeu que após procurar um roteiro de viagem, toda vez que você navega na internet surgem ofertas daquela rota? Ou, quando você compra uma máquina fotográfica e não compra a maleta da máquina, magicamente surgem ofertas daquela maleta? Essa ação é parte da estratégia conhecida como marketing Big Data, que por meio do IP do seu computador as empresas conseguem rastrear seus últimos acessos e assim a área de marketing usa da tecnologia para desenvolver meios para estimular o consumo.

E agora voltando ao Facebook, já que as empresas conseguem buscar as suas preferências pelos likes que você dá, use-as a seu favor. Use o Facebook e o LinkedIn como uma ferramenta para ajudá-lo no seu marketing pessoal. As empresas de recrutamento e os headhunters analisam todas as suas postagens antes de contratá-lo. Então, nada de curtir as frases como: “odeio segunda-feira”, “EBA! Hoje é sexta-feira”, “meu chefe é um incompetente”. E postar este tipo de coisa, jamais!

Estamos em uma nova era, a era da informação. E se as empresas a utilizam a seu favor como uma ferramenta estratégica de marketing, faça o mesmo e boa sorte!

(*) Marie Suzuki Fujisawa, professora do MBA em Marketing do Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG), ipog.edu.br, publicitária, mestre em Comunicação, autora do livro: “Das Amélias às mulheres multifuncionais” (Summus).

 

Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...
Educação e o futuro da alimentação
Educação deve colaborar na preparação de todos para o pleno exercício da cidadania e, especialmente, formar os jovens para uma vida profissional que ...
Convenções internacionais e competitividade
O Brasil precisa atuar com mais critério na hora de analisar e ratificar convenções multilaterais, especialmente as negociadas no âmbito de entidades...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions