A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017

19/08/2015 15:00

Florestas plantadas abrem caminhos para a rentabilidade no campo

Por Graziela Lourensoni (*)

O cultivo comercial de florestas está se transformando em uma das atividades mais lucrativas no campo. Isso porque o país já possui 7,74 milhões de hectares de florestas plantadas e, desse total, cerca de 2,6 milhões são cultivados pela indústria de papel e celulose, representando 34% das florestas plantadas. Além disso, dados do Ministério da Agricultura apontam que o cultivo comercial de florestas é responsável por movimentar cerca de R$ 50 bilhões ao ano e gerar 4,7 milhões de empregos diretos e indiretos.

Veja Mais
Travessia sustentável
Hoje eu me lembrei...

Atualmente, as florestas plantadas são responsáveis por abastecer importantes cadeias produtivas da economia, como construção civil, geração de energia, produção de carvão, papel e celulose e movelaria. E por conta dessa forte demanda pela madeira, hoje, já temos casos de produtores rurais que estão substituindo o cultivo da cana-de-açúcar em áreas de encosta pelo plantio do eucalipto nos estados de Pernambuco e Alagoas. Isso porque, os custos do plantio da cana em áreas de declive são mais elevados e a substituição garante o aumento dos lucros dos produtores.

Quando avaliamos uma área de cultivo de eucalipto, os principais fatores que tornam a atividade rentável são: o valor pago pelo metro quadrado da madeira e o ciclo produtivo, pois entre cinco e sete anos o produtor já consegue fazer o primeiro manejo sustentável e a venda da madeira. E, como as árvores possuem três ciclos, ao mesmo tempo em que a madeira cortada é processada, novas desbrotas crescem em um prazo cada vez menor.

Por conta da grande demanda e da lucratividade, indústrias do segmento de papel e celulose investem na plantação de florestas em áreas próprias. Porém, o manejo geralmente é terceirizado a empreiteiros florestais, que são responsáveis por entrar com máquinas para fazer o corte e o desgalhamento das árvores para a posterior venda. Nesse ponto, temos duas formas de trabalho; nos terrenos grandes e planos, o equipamento mais indicado é o harvester, capaz de derrubar, descascar e processar as árvores. Já em áreas menores ou íngremes, a melhor forma de realizar o corte e a desbrota é com o uso de uma motosserra.

No entanto, quando falamos em motosserras, alguns pontos merecem atenção, pois a indústria de equipamentos destinados ao manejo florestal trabalha constantemente para desenvolver ferramentas de trabalho que garantam a segurança dos operários. Por isso, além dos Equipamentos de Proteção Individual, os EPIs, existem motosserras com sistemas especiais de freios, dessa forma, caso o operador faça um movimento brusco ou uma operação errada, o freio da corrente é ativado para evitar possíveis acidentes. Outra tecnologia disponível é o freio acionado de acordo com a postura, ou seja, se o operador está com punho em uma posição errada, a máquina trava a corrente e o sabre automaticamente.

Ainda destacando as tecnologias para os médios e pequenos produtores, estão disponíveis no mercado pulverizadores para fazer o controle de pragas, atomizadores para a aplicação de insumos e calcário para a correção de solo, e roçadeiras próprias para a desbrota, o que minimiza o esforço físico no trabalho.

Como notamos, esse é um segmento que está muito bem estruturado no país, com geração de empregos, alta lucratividade na venda do eucalipto e desenvolvimento de tecnologias para todos os perfis de produtores, e é isso que faz com que as previsões para o futuro sejam as mais positivas possíveis. A própria Indústria Brasileira de Árvores já projeta investimentos de quase R$ 53 bilhões até 2020 para ampliar as áreas de florestas plantadas no Brasil. A tendência é que o país continue crescendo e seja uma das maiores referências em produtividade e manejo de florestas plantadas.

(*) Graziela Lourensoni é gerente de produtos da Husqvarna, líder global no fornecimento de equipamentos para o manejo de áreas verdes.

Travessia sustentável
O Relatório Anual do FMI (Fundo Monetário Internacional), sobre a situação econômica de seus países-membros, saiu em novembro do ano passado e projet...
Hoje eu me lembrei...
Nestes tempos conturbados que estamos vivendo, em que muitos buscam um culpado para eximir-se de suas responsabilidades, em que nos esquecemos que no...
Sistema carcerário brasileiro clama por ajuda
O ano começou com uma bomba relógio, que já ‘tic-tateava’ há muitos anos, explodindo. As rebeliões em presídios de todo o Brasil deixaram mais de 120...
Mais um ano difícil
A economia brasileira inicia 2017 com a combinação de otimismo moderado e preocupação. A perspectiva levemente otimista se fundamenta na expectativa ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions