A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 22 de Janeiro de 2017

21/01/2013 14:47

Fundos imobiliários apresentam boa rentabilidade

Por Daniel Resende (*)

O mercado imobiliário no Brasil vive um boom há alguns anos e os fundos deste setor ganharam bastante destaque desde 2010, ano em que foram realizados diversos lançamentos no setor.

Um dos que mais me chamam a atenção é Fundo TRX Realty I, que foi lançado antes do boom de fundos em 2010. A TRX já atuava nesse mercado antes de muitos outros bancos e gestores se aventurarem em busca dos bons resultados apresentados neste segmento. Devido a sua forma de contabilizar os ganhos, a valorização dos imóveis ainda não apareceu para o investidor e o fundo continua aberto para aplicações.

O TRX Realty I é um pouco mais complexo do que os outros fundos imobiliários. Ele não é um fundo de renda, que simplesmente adquire imóveis e distribui aluguéis aos cotistas. Esse é um fundo de desenvolvimento, que gera retornos através de operações estruturadas. Por essa razão, a gestora preferiu usar o veículo de fundo multimercado ao invés de usar o tradicional fundo imobiliário.

Com o dinheiro dos cotistas, o fundo adquire um terreno, constrói e aluga o imóvel. Porém, essa estruturação é realizada de uma forma um pouco mais interessante e que vem trazendo bons resultados - sem euforia.

De maneira simplificada, a estratégia de investimento funciona mais ou menos da seguinte forma. Antes de construir, a TRX procura ou é procurada por uma empresa que tenha um desafio imobiliário. Geralmente é a necessidade de grandes instalações como fábricas, galpões ou call centers. Após entender a demanda específica da empresa, a TRX desenvolve um projeto e assina um contrato de aluguel de longuíssimo prazo - normalmente entre 10 e 15 anos. Anos, não meses.

Os contratos são sempre de longo prazo e com multas relevantes em caso de desocupação antecipada. Eles geram para o fundo um crédito de diversos pagamentos mensais futuros, conhecidos como “recebíveis”. A TRX então vai atrás de investidores institucionais, como fundos de pensão e seguradoras ou mesmo pessoas físicas, para vender os recebíveis, em troca de dinheiro no presente.

Para que esses recebíveis tenham um bom valor, a empresa que aluga o imóvel tem que ser muito sólida. Atualmente, o fundo possui inquilinos como a Ambev, Magazine Luiza e BR Foods. Com uma mistura de dinheiro dos cotistas e dinheiro de adiantamento dos recebíveis, o Fundo compra o terreno e constrói ou adquire outros galpões e parques logísticos.

Mesmo tendo adiantado os recebíveis, o Fundo continua como co-devedor, garantindo que os recebíveis serão pagos. Por isso, no momento após a compra, o Fundo é proprietário do imóvel, mas possui ainda uma dívida equivalente à parte dos aluguéis que ainda não foram pagos.

À medida que esses aluguéis vão sendo quitados, a dívida é reduzida e o fundo vai contabilizando o ganho. No final do contrato, o imóvel será todo do fundo e todos os aluguéis futuros serão destinados ao TRX Realty I, aumentando os ganhos dos cotistas.

Por mais que o aluguel tenha sido antecipado, o terreno pertence ao Fundo e toda a valorização do imóvel se refletirá na cota e no patrimônio do investidor. O problema é que essa valorização será refletida gradualmente durante todo o tempo do contrato, de 10 a 15 anos.

Porém, às vezes o fundo realiza a venda de um imóvel, como ocorreu em outubro de 2009. Nesse caso, a valorização é imediata, equivalente a quando se vende um apartamento não quitado que se valorizou. Além da rentabilidade estável de sempre, nesse momento os cotistas do fundo ganharam 22,6% de rentabilidade em um único dia.

Entretanto, o TRX Realty I não é adequado para todo e qualquer investidor. Pensando no tripé de objetivos do investidor (rentabilidade, segurança e liquidez), ele apresenta excelente rentabilidade e segurança, mas não possui muita liquidez. O cotista que ingressa no Fundo precisa aguardar a carência de três anos antes de poder pedir resgates. Para muitos investidores, a baixa liquidez é um preço pequeno a se pagar para comprar imóveis a um preço antigo, antes da valorização no setor imobiliário.

Previdência Social: verdades e mentira
Com a reforma da Previdência, e já que acabaram com o Ministério da Previdência, vários ministros dispararam versões sobre o tema, mas como não sabem...
Chacina e colapso nas prisões brasileiras
Nestes poucos dias do Ano da graça de 2017, o Brasil e o Mundo viram estarrecidos o massacre brutal de cerca de pelo menos 134 detentos, dentro das p...
Em busca da competitividade sustentável para o agronegócio
O papel da sanidade animal e vegetal Há décadas as questões sanitárias de plantas e animais integram a lista das preocupações do agronegócio brasilei...
Elementos da teoria da decisão
A propósito do fim do ano de 2016 (terrível na política e na economia) e com o ano de 2017 (com esperanças de que as coisas melhorem), participei de ...



Gosto muito de investir em fundos de investimentos, uma boa alternativa para quem está buscando aplicar neste investimento, é procurar uma corretora de valores.
 
Wender dos Santos Vital em 21/01/2013 17:33:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions