A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

31/01/2015 08:18

Inquietação global

Por Benedicto Ismael Camargo Dutra (*)

Os acontecimentos atuais estão em rota de aceleração o que gera o aumento da impaciência. Em grande parte o bom senso e a clareza no pensar estão fazendo falta. As pessoas se deixam levar, sem refletir e sem perceber como estão tornando a vida vazia e sem sentido em seu ciclo rotineiro entre nascimento, crescimento e morte. Elas querem aproveitar o momento. Tudo acontece de forma mais rápida, mas o que já era devagar nas instituições ameaça emperrar de vez.

Veja Mais
Comércio exterior: o que esperar de 2017
Tédio é a falta de projeto

Ainda não saímos da crise iniciada em 2008. Endividamento público e desemprego complicam a recuperação. Está faltando no mundo um acordo geral de produção e comércio. Para que haja paz e progresso é preciso que se estabeleça equilíbrio entre as nações na produção e no comércio de bens, fora disso é guerra econômica. Não se pode falar em livre mercado quando há manipulação nos preços das commodities, assim como não há igualdade de competição quando o custo da mão de obra, benefícios, restrições ambientais, câmbio, são determinados pela mão forte do Estado. Esse equilíbrio não será restabelecido de forma permanente apenas com estímulos monetários.

As pessoas querem resultado imediato. Tudo vai caindo numa rotina mecânica, sem vida, que leva ao desinteresse. Surge a acomodação. Faltam propósitos de vida. Falta vigilância. Falta o esforço diário para impedir que os pensamentos se dispersem em ninharias.

O abuso do poder econômico, militar e político, com ameaças e atemorizações, gera insatisfação, medo e ódio. Tudo vai represando e de repente poderá explodir. Aumenta a impaciência e atos violentos. O mundo ruma para o caos com a perda da paciência. Falta-nos a consideração humana. Estamos diante do apagão mental decorrente de múltiplas causas: desestruturação familiar; falta de boas creches; deficiente aprendizado da leitura e hábito de ler; ignorância e despreparo para a vida; distanciamento cada vez maior da natureza; uso excessivo de games; novelas e filmes que oferecem modelos de baixo nível; desprestígio da classe política que não se preocupa com a melhora geral das condições, pensando só em seus interesses.

Precisamos de estadistas que não pensem apenas no dinheiro e seus detentores, mas que se ocupem seriamente em fazer do planeta uma pátria que possibilite o crescimento pessoal com qualidade de vida, autonomia, paz e segurança. Muitas pessoas não se esforçam em perceber o significado maior da vida e seus alvos mais elevados. Tornam-se agressivas e mal humoradas. Não se relacionam umas com as outras com o coração. Não promovem a harmonização dos relacionamentos.

Há muita inquietação. Metade da população do planeta vive em precárias condições. Estamos à beira do colapso nos recursos naturais, na redução da produção de alimentos, na escassez da água, no desemprego estrutural e no caos social. Estamos diante da mais contundente alteração do clima com aquecimento global, degelo, secas e inundações.

Em diversas épocas, cada povo recebeu um mensageiro trazendo-lhe a explicação da vida. Jesus trouxe a visão mais ampla, mas todas as apresentações apontam para a mesma essência: o Deus Único e suas leis cósmicas. No entanto, os seguidores, por falta de compreensão ou interesses particulares, se afastaram da naturalidade e da clareza, gerando inconformismos. Com investidas pueris e debochadas, nada se resolve. Urge buscar a Luz da Verdade, para escapar das consequências dos erros humanos e de sua obscuridade. Para uma transformação necessitamos do desenvolvimento e fortalecimento dos valores universais outrora transmitidos para a humanidade.

(*) Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, e associado ao Rotary Club de São Paulo. Realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. É também coordenador dos sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br, e autor dos livros “ Conversando com o homem sábio”, “Nola – o manuscrito que abalou o mundo”, “O segredo de Darwin”, e “2012...e depois?”. E-mail: bicdutra@library.com.br; Twitter: @bidutra7

Comércio exterior: o que esperar de 2017
Apesar das tintas carregadas com que alguns analistas têm pintado o cenário para o Brasil em 2017, em razão da crise política entre o Congresso e o P...
Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions