A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

12/08/2015 10:02

Letargia ameaça o futuro

Por Benedicto Ismael Camargo Dutra (*)

O mundo enfrenta a letargia de si mesmo e das atitudes sem transparência. Nada mais é como antes porque agora não dá mais para ocultar as reais intenções daqueles que detêm o poder. Nas finanças e na política prevalecem os interesses particulares. Permanecem os egoísmos e tudo acontece aceleradamente, mostrando, de forma clara, se de fato havia ou não boas intenções; por isso cresce a insatisfação e se reduz a paz. A confusão se instala onde quer que se olhe. Para que ocorra cooperação e solidariedade entre os humanos, necessário se faz a sinceridade e o real desejo de alcançar a melhora geral.

Veja Mais
A aviação e suas regras
Lei Orgânica da Assistência Social – 23 anos

Estamos bem próximos do caos. Há uma inércia geral enquanto a turma da velha política e seus comparsas vai bem, e por isso não se preocupa com a situação da economia nem com os mais de sete bilhões de pessoas que vivem no planeta e precisam de trabalho, saúde, escola e tudo o mais. Eles têm permitido a deterioração da qualidade de vida, a destruição das matas, a poluição dos rios, a desestruturação das cidades, contanto que continuem acumulando riqueza. O que mais falta fazer para lançar o mundo no abismo? Ou cuidamos do planeta e sua população ou ficaremos sem futuro.

Uma situação que não pode continuar sendo ignorada é o apagão mental, gerador do apagão ético, moral e profissional. É necessário que os jovens aprendam a pensar com clareza e raciocinar com lucidez. A internet trouxe um novo paradigma com a aceleração das informações, mas os jovens têm de aprender vendo fazer e fazendo. Todo o trabalho é dignificante, seja manual ou mental. A responsabilidade com o melhor futuro compete a todos nós.

Não é de hoje que os governantes borram nas contas. Deixam o equilíbrio sempre para depois, e lá vão eles gastando o que não têm, absorvendo a liquidez do mercado, pagando juros e comissões, descontrolando tudo, em vez de estabelecerem um plano eficaz de equilíbrio. Iniciam obras faraônicas ou projetos armamentistas em que muitas vezes o dinheiro fica enterrado sem proveito em projetos inúteis ou obras paralisadas. Até agora finanças e política têm sido um território livre para esses perdulários. Muita coisa foi privatizada pelo mundo, o que foi bom para reduzir os rombos e desvios, mas aonde foi parar o dinheiro? Os Estados continuam com dívidas crescentes.

A cada dia as fendas vão aparecendo. Falta uma construção sólida na sociedade, o desenvolvimento dos talentos e a continuada busca da melhora. As fendas também aparecem na arte, no desinteresse pelo belo e pela estética. As novas gerações não estão sendo orientadas para a necessidade de se ocupar seriamente com a construção de um futuro melhor.

Estamos diante de acontecimentos marcantes, mas a cegueira é geral, e pior ainda nas elites políticas que só têm olhos para o poder; enquanto isso, vamos avançando nas crises - a econômica e financeira - que abrem fendas no social, enquanto a insensatez se amplia, empurrando os problemas com a barriga. Muitas coisas precisariam ser mudadas, mas os interesses deixam?

O grande plano que tem faltado é a busca do aprimoramento humano, afinal de contas para que estamos vivos? No entanto, esse mais elementar objetivo tem sido postergado por fatores supérfluos e o resultado é o caos que ameaça tomar conta de tudo. Falta o principal que sempre faltou: estadistas sinceros, leais, sábios que buscam o melhor para o fortalecimento da população e da qualidade de vida.

Os falsos líderes continuam se digladiando para ver quem manda mais, quem fica com o pedaço mais suculento, e dessa forma o melhor futuro vai ficando cada vez mais distante e as novas gerações, despreparadas para a sua responsabilidade. O Brasil e o mundo precisam de governantes sábios que pensem com clareza no progresso do país e da população.

(*) Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, e associado ao Rotary Club de São Paulo. Realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. É também coordenador dos sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br, e autor dos livros “ Conversando com o homem sábio”, “Nola – o manuscrito que abalou o mundo”, “O segredo de Darwin”,“2012...e depois?” e “Desenvolvimento Humano”. E-mail: bicdutra@library.com.br; Twitter: @bidutra7

A aviação e suas regras
A aviação conseguiu, em menos de um século, aproximar os continentes, as empresas e, principalmente, as pessoas. Foi uma evolução tão rápida que não ...
Lei Orgânica da Assistência Social – 23 anos
Nos últimos anos, a Assistência Social vem construindo uma nova trajetória, organizando-se sob novos padrões e afirmando-se como parte integrante do ...
Morre no trânsito o equivalente a 2 aviões da Lamia lotados por dia
Por dia, no Brasil, morrem em acidentes de trânsito o equivalente a ocupantes de dois aviões da Lamia, que transportava o time inteiro da Chapecoense...
Um galo para Asclepius
Sócrates, o filósofo ateniense, cujos preceitos influenciaram o pensamento ocidental de forma muito marcante e definitiva, tinha uma característica: ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions