A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

15/03/2013 09:23

Milho safrinha e a Maratona 2013

Por André Luís F. Lourenção (*)

Colhemos a soja olhando para o céu, preparando as plantadeiras para uma “São Silvestre Agrícola” que iniciará o plantio de milho safrinha. Assim como o maratonista, treinamos, nos reunimos e discutimos as melhores opções, tentamos nos informar sobre o clima durante o evento, regulamos nossas máquinas e aparelhos.

Veja Mais
Tédio é a falta de projeto
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?

A tensão antes da largada é inevitável e a derrota passa por nossos pensamentos. Como certo, sabemos apenas que fizemos tudo o que poderia ser feito - e vamos nos aventurar mais uma vez! Munidos de nosso conhecimento e preparação, ouvimos o som da largada e fazemos nosso trabalho.

O produtor rural é realmente um maratonista. Os sul-mato-grossenses que o digam! Além de perseguir altas produtividades em regiões de baixas altitudes, não há produtores aqui que não relatem ter passado por secas e, na maioria dos anos, a ocorrência de geadas.

A busca porhíbridos de milho de ciclo rápido é cada vez maior e as janelas de plantio parecem se tornar cada vez menores. Em muitas regiões, nossos solos não estão bem corrigidos e têm altas taxas de alumínio. As pesquisas indicam que a escolha de híbridos mais adaptados para cada condição pode se refletir em ganho médio de 12% de produtividade. Da mesma forma, quando não se respeita aépoca de plantio de milho, podem ocorrer perdas significativas.

Os resultados das pesquisas da FUNDAÇÃO MS apontam para perdas de até 3,5 sacos / hectare / dia. Os solos precisam estar bem corrigidos para que não limitem a produtividade de híbridos que demandam alto investimento. Ajustes como utilização de produtos que protegem e auxiliam a germinação, espaçamento reduzido, fungicidas para materiais que deles necessitem e tantos outros que parecem despontar no mercado dão, cada vez mais, força a esta cultura.

Além disso, a cultura do milho abriu espaço para o desenvolvimento de uma tecnologia muito falada, mas ainda pouco utilizada no estado: o sistema de plantio direto. A inserção de capins em meio ao milho safrinha é uma das grandes inovações da agricultura atual. Esta tecnologia traz consigo a possibilidade de observarmos, finalmente, palhada e matéria orgânica no sistema. Sua utilização vem mudando os padrões da agricultura em nosso estado.

Impulsionada por um cenário agrícola extremamente favorável, a cultura do milho safrinha está em ascensão em Mato Grosso do Sul. Com uma perspectiva de área plantada para 2013 em torno de 1,5 milhões de hectares, a cultura está em pleno crescimento. As chuvas de fevereiro foram favoráveis à cultura do milho na maioria das regiões do estado, garantindo estandes próximos ao ideal. Em algumas regiões, a chuva não foi tão freqüente e o milho começa a sentir os efeitos de secas localizadas.

Entretanto, em grande parte do estado, a cultura está instalada e se desenvolvendo com chuvas dentro do esperado. O produtor fez boa largada, está no pelotão de elite, na ponta da tecnologia. Continuamos a olhar para o céu, avançando sobre os obstáculos. O bom de olhar para o céu é poder enxergar melhor o horizonte! E os obstáculos? Vamos superá-los com conhecimento, tecnologia e pesquisa aplicada na prática.

(*) André Luís F. Lourenção é engenheiro agrônomo formado pela UFGD em 2002, mestre em entomologia e conservação da Biodiversidade (UFGD, 2005) e doutor em agronomia (UFGD, 2011). Na Fundação MS, ocupa o cargo de Gerente Técnico-Científico.

Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions