A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

05/11/2014 14:40

O compromisso da União com o ensino no ano novo

Por Rubens Passos (*)

Na acirrada eleição presidencial, um dos anseios mais fortes da sociedade referiu-se ao ensino, e sua melhoria foi uma das promessas da presidente reeleita Dilma Rousseff. De fato, a União pode contribuir para o avanço da qualidade nas escolas públicas, embora a responsabilidade constitucional pela Educação Infantil, Ensino Fundamental e o Médio seja de prefeituras e estados.

Veja Mais
A Odisseia da Chape
Comunicação da qualidade dos alimentos

O Governo Federal e as demais unidades federativas não têm dado ao setor atenção proporcional à sua importância. No último Ideb (indicador do Ministério da Educação sobre o desempenho dos alunos nas redes privada e pública), o Brasil ficou abaixo da meta para o ciclo final do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano) e no Médio.

O grande desafio é melhorar o Ensino Básico e evitar a evasão escolar, que é de aproximadamente 24%. O índice é ainda mais preocupante se comparado aos de nações vizinhas, como Chile (2,6%), Argentina (6,2%) e Uruguai (4,8%). Um a cada quatro alunos que inicia o Ensino Fundamental no Brasil abandona a escola antes da última série. É o que indica o mais recente relatório sobre o tema do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento).

Nesse sentido, uma das providências importantes é reduzir os impostos incidentes sobre materiais escolares. Segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), esses artigos são taxados em até 47%, como as canetas. Itens como apontador e a borracha têm alíquota de 43%; caderno universitário e lápis, 35%. A PEC 24/2014 (Proposta de Emenda à Constituição) estabelece o fim dos impostos sobre os materiais escolares. Apresentada pelo senador Alfredo Nascimento, sua aprovação seria solução imediata para a redução dessa elevadíssima carga tributária.

A Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (ABFIAE) havia encaminhado aos candidatos à Presidência da República e a cargos do Legislativo, reivindicação de apoio à PEC. Espera-se que a presidente Dilma Rousseff e a nova Legislatura Federal atendam em 2015 à necessidade de reduzir o imposto sobre o material escolar. Já é hora de os políticos e autoridades conferirem mais atenção ao ensino público, cuja precariedade é um dos obstáculos ao nosso desenvolvimento.

(*) Rubens Passos é presidente da Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (ABFIAE).

 

A Odisseia da Chape
Não tenho dúvidas de que o esporte funciona como uma metáfora da vida. As mazelas e dramas humanos estão presentes em todas as etapas da trajetória d...
Comunicação da qualidade dos alimentos
É importante que as notícias do agro cheguem de maneira correta aos moradores dos grandes centros urbanos. A maioria destes consumidores de alimentos...
Ponte com o futuro
O agronegócio brasileiro é carta importante no jogo geopolítico mundial. De acordo com a FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agri...
Tendências e atitudes
Professores e economistas como Simão Davi Silber, Ricardo Amorim, Zeina Latif, entre outros sinalizam melhoras na economia para os próximos anos. Enq...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions