A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

10/03/2016 07:44

O coração que se protrai!

Por Rosildo Barcellos (*)

A diversidade, os regionalismos sociais e culturais permeiam o fundamento universal dos direitos humanos; mas esse conceito a mulher carrega impregnado ao seu ser. Nada mais justo que, estabelecer um dia especial para homenageá-las. Em 8 de março de 1857, tecelãs de Nova York realizaram uma marcha por melhores condições de trabalho, diminuição da carga horária e igualdade de direitos. Na época, a jornada de trabalho feminino chegava a 16 horas diárias, com salários até 60% menores que os dos homens.

Veja Mais
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Educação e o futuro da alimentação

Além disso, muitas sofriam agressões físicas e sexuais. Uma das versões do desfecho da marcha é a de que as manifestantes teriam sido trancadas na fábrica pelos patrões, que atearam fogo no local, matando cerca de 130 mulheres. O fim mais aceito, porém, é o da interrupção da passeata pela polícia, que dispersou a multidão com violência. 8 de março se tornou símbolo da luta pelos direitos da mulher, e foi oficializada pela Unesco em 1977.

No Brasil o que não faltaram foram declarações de amor, desde clássicos da MPB, como "Luiza" de Tom Jobim. Tiveram também, músicas que simplesmente falavam da mulher, sua rotina, seus hábitos, “Amanda” com Taiguara ou ainda Cristina com Roupa Nova, “Elaine” com o ABBA e Iara do Nauboah, são bons exemplos disso. E quanta gente não cantarolou: A estrela Dalva, no céu desponta e a lua anda tonta com tamanho esplendor...

Mas, não foram apenas músicas e poesias feitas para as mulheres, mas também por mulheres. Elas cantaram e encantaram com suas belas vozes. E com sua música, romperam tabus e influenciaram gerações. Na área jurídica tivemos avanços A Lei Maria da Penha promoveu o aumento no rigor das punições das agressões contra a mulher quando ocorridas no âmbito domestico ou familiar.

Entretanto independente da área jurídica, histórica, trabalhista ou estética; o termo mulher sempre vai remeter-nos para o que encarna o verdadeiro entendimento da palavra e a que mais amplo conceito tem que é a mulher – mãe e por coincidência do destino, normalmente nossas mães cruzam os portais do infinito antes de nós, e assim, aprendamos a transferir, todo o significado para outras mulheres, que são mães de nossos filhos, e para nossas filhas, que serão mães dos nossos netos e eles sendo bem orientados e educados podem fazer a diferença neste mundo.

Louve-se que este seja o sublime milagre da vida. Este é o sentido de nossa existência e se o homem encarna a força do Criador, a mulher encarna sua beleza e amor e é imperioso que eles se unam deixando o amor fluir. O homem e a mulher, são sim complemento um do outro, são a coroação da criação. Esta é uma realidade poética intransponível e indiscutível.

(*) Rosildo Barcellos é articulista

A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...
Educação e o futuro da alimentação
Educação deve colaborar na preparação de todos para o pleno exercício da cidadania e, especialmente, formar os jovens para uma vida profissional que ...
Convenções internacionais e competitividade
O Brasil precisa atuar com mais critério na hora de analisar e ratificar convenções multilaterais, especialmente as negociadas no âmbito de entidades...
A Odisseia da Chape
Não tenho dúvidas de que o esporte funciona como uma metáfora da vida. As mazelas e dramas humanos estão presentes em todas as etapas da trajetória d...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions