A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2017

04/08/2011 10:14

Pantanal: 87% preservado

Por Marcela Lemos Monteiro (*)

Mérito do Pantaneiro com sua atividade pecuária, respeitando e tolerando o Ciclo de Cheia e Seca, há 200 anos!

O Pantaneiro é respeitador.

Quando a boiada estoura, a única alternativa é correr junto no costado, tentando dar o rumo. Assim é feito com a Natureza. Convive-se nas condições adversas de excesso ou falta de água todo ano.

Esta sazonalidade impõe respeito, ela vem e vai mais intensa ou não, de acordo com a mãe natureza (por uns chamado de El Nino, La Nina, aquecimento global entre outros).

O Pantaneiro é cordial.

Suas palavras podem soar rústicas, porém seu intimo é humilde e a intenção é boa. Quem trabalha em condições adversas passa por dificuldades diárias e o lema é um ajudar o outro.

Para se chegar às fazendas, durante a enchente, contornam-se pontes sem cabeceiras e longas aguadas. Trechos, às vezes, só puxado por trator de algum vizinho!

O Pantaneiro é desconfiado.

Qualquer mudança na rotina que altere alguma das tradições pantaneiras é visto com muita cautela. Especialmente, se ele se sente intimidado. Defende com unhas e dentes o que lhe pertence.

Anos atrás, gente de fora, com PhD e tudo, recomendou “tirar o boi”. Os Pantaneiros indignados avisaram, mesmo assim eles esvaziaram os pastos, e tiveram um incêndio de proporções incontroláveis: a macega serviu de combustível ao invés de produzir carne. Um desastre!

O Pantaneiro é informado.

Temos sempre a impressão de alguém retirado num outro mundo, meio alongado, mas qual não é a surpresa para quem chega da cidade ao campo e ouvir uma noticia recentíssima.

Ela vem inclusive acompanhada de interpretações e colorido novo. Funciona bem o Radio Peão e/ou o Jornal Pantaneiro; são virtuais.

O Pantaneiro é trabalhador.

A crescente demanda mundial por alimentos pressiona cada vez mais o produtor a ser eficiente. A dedicação é máxima, o Pantaneiro é motivado por PAIXÃO.

87% do Pantanal se encontra preservado. Nos 13 % de produção semi-intensiva, nem só o gado se beneficia. A fauna silvestre, a exemplo do veado campeiro pasta capim humidícola, lambe sal no cocho e bebe água dos açudes.

O Pantaneiro faz o que sempre foi feito, atravessa as cordilheiras, na cheia e atalha no meio da vazante e dos campos, na seca. A estrada se molda assim como o Produtor Pantaneiro. Quem trabalha em condições adversas passa por dificuldades diárias e as contorna da melhor maneira possível!

O Pantaneiro tem orgulho do seu jeito de ser, da bezerrada sadia, da tropa alinhada e da fauna silvestre que convive entre estes tranquilamente.

Harmonia entre homem e natureza. E assim se faz há mais de 200 anos. Não é a toa que temos o Bioma mais preservado do Brasil.

(*) Marcela Lemos Monteiro é engenheira agrônoma e produtora rural

Como manter o engajamento na sua rede de franquias?
Não é de hoje que temas como motivação e produtividade estão em pauta nas organizações. O motivo é simples. A diferença entre o sucesso e o insucesso...
Agricultura familiar, um estímulo à economia brasileira
O agronegócio está entre as principais atividades responsáveis por movimentar a economia brasileira. De acordo com um levantamento feito pelo Centro ...
Soja: Três segredos para a safra render e o agronegócio brasileiro melhorar
Após passar por uma situação difícil no último ano, seja do ponto de vista climático – por conta das secas em algumas regiões – e até mesmo econômico...
Relevância da atividade econômica e o direito empresarial
Todos, de bom senso, somos uníssonos sobre a necessidade na melhoria das condições de vida do ser humano, essa melhora pode minimizar os conflitos so...



Parabéns pela texto. Parabéns aos pantaneiros de verdade, que implantaram harmonicamente a atividade pecuária x conservação da natureza - harmonia esta traduzida na frase inscrita no sindicato rural de Corumbá: " No pantanal passa boi, passa boiada e a natureza continua"
De outro lado é lamentável o caminho trilhado por alguns poucos "pantaneiros" que matam ou permitem matar animais silvestres e desmatam irracionalmente o cerrado.
Pantanal para sempre!
 
Juvenal Coelho Ribeiro em 04/08/2011 11:30:20
Pois é, Dra. Marcela, mas não consequimos conservar a cultura e o homem pantaneiro pela carência de escolas para seus filhos e o próprio peão. Nada consegue sensibilizar o poder público para isso. Muito triste.
 
Valfrido m. Chaves em 04/08/2011 11:12:22
Essas informações é que temos que divulgar para o mundo inteiro!
Lá fora eles conhecem a destruição do meio ambiente a degradação
dos recursos sustentáveis e não conhecem as práticas sustentáveis que temos
e as dificuldades enfrentadas para se manter essa forma de produção.......deveríamos mostrar isso como um orgulho do nosso povo.
 
Terezinha Bortolotto em 04/08/2011 10:44:57
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions