A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2017

25/01/2011 06:06

Participação efetiva do cidadão nas eleições

Por Lizete Andreis Sebben (*)

A cultura brasileira deveria estimular o eleitor brasileiro a ser mais participativo nas eleições, de forma a assumir o verdadeiro significado do voto e a efetiva responsabilidade na escolha dos candidatos.

Penso que seria importantíssimo para a cidadania que fossem adotadas práticas de estímulo à efetiva participação do eleitor nos pleitos. O trabalho, como já se tem observado pontualmente, deveria iniciar na escola, nos primeiros anos do Ensino Médio, com atividades que esclareçam aos estudantes o significado do voto, sua importância, a responsabilidade na escolha dos seus representantes e qual, de fato, a atividade que eles exercem - que interesses defendem e como isso se procede.

Especificamente quanto ao exercício do direito de cidadania, com o voto, considerando que todo poder emana do povo e em seu nome será exercido, entendo que qualquer trabalho cultural, midiático ou não, estimulando a importância do ato de votar e transmitindo a ideia de que ele não e o fim e sim o inicio de um compromisso do candidato eleito com o seu eleitor, seria muito bem-vindo.

No último pleito, identificou-se uma menor participação do cidadão. O índice de abstenção no segundo turno da última eleição foi recorde, de 21,5%, desde a redemocratização do país. Vale lembrar que o pleito precedia um feriado, levando diversos eleitores a buscarem um lazer ao invés de exercerem seu dever de cidadania. Para se ter uma ideia do aumento de abstenções, em 2006, este número foi de 18,9%.

Na tentativa de diminuir o número de abstenções nas próximas eleições, está sendo implantado o sistema biométrico de identificação de eleitores em todo o Brasil. Dessa forma, será possível ao eleitor votar onde estiver. A expectativa é que o sistema esteja funcionando plenamente para as eleições de 2018.

Evidentemente, que a participação do cidadão nas eleições não se limita ao exercício do voto. Inúmeros cidadãos são convocados para prestar serviço eleitoral, como mesários, presidentes de mesa e auxiliares, sendo que, não raro, se observa pessoas descontentes com esse chamado, fazendo de tudo para abster-se da função indicada e, ainda, de doar-se por algumas horas em prol da nação.

Aquele que já exerceu essa nobre atividade, tem condições de atestar a gratificação ao exercê-la, desde os atos preparatórios, ainda nos encontros junto ao Tribunal Regional Eleitoral com as informações e conhecimentos recebidos, como na atividade propriamente dita desenvolvida no decorrer do dia das eleições, culminando com a entrega do resultado da respectiva Seção Eleitoral, com a responsabilidade inerente a cada ato para atingir o resultado final. Esse trabalho realizado por esses cidadãos autoriza que o resultado do pleito seja divulgado minutos ou horas após encerrada a votação, o que já é mais do que suficiente para enobrecer a tarefa.

(*) Lizete Andreis Sebben é advogada e ex-juiza do TRE/RS.

Sobre o mercado e o governo
O homem primitivo acordava de manhã, saía para coletar frutas, abater animais e pescar peixes, e assim ele se alimentava. Ao fim do dia, cobria-se co...
Logística reversa: pensamento sustentável pelas gerações futuras
Incertezas são o que mais temos, porém ideias norteadoras e essenciais para a construção de um futuro mais sustentável já existem. Não podemos ignora...
Quando, também na escola, se dialoga sobre as religiões
Temos percebido uma crescente preocupação acerca do papel social da escola e da educação que acontece neste espaçotempo. Numa perspectiva de sociedad...
19 anos de Código de Trânsito Brasileiro
No dia 22/01/17, o atual Código de Trânsito Brasileiro completa 19 anos de vigência. Após 31 Leis que o alteraram, com o complemento de 655 Resoluçõe...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions