A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

14/01/2011 11:50

Quando a chuva passar

Por Rosildo Barcellos (*)

Quando a chuva passar

Quando o tempo abrir

Abra a janela e veja eu sou o sol

Eu sou céu e mar

Eu sou céu e fim

E o meu amor é imensidão...

A composição de Ramon Cruz, vai além de uma simples canção de amor eternizada nas vozes de Ivete Sangalo e de Paula Fernandes. Ela nos faz pensar nos grandes problemas que nos atacam com cada vez mais voracidade no mês de janeiro e por conseguinte antecipa um alerta para que todos os motoristas tenham cuidado na hora da chuva.

A primeira regra é levar o carro para um lugar seguro assim que perceber o começo da tempestade. Se a chuva já estiver em andamento, o jeito é procurar um local mais alto para deixar o veículo até que a situação melhore. Em alagamentos, o limite para trafegar com segurança é quando o nível da água estiver chegando à metade da roda. Mais do que isso, não arrisque. Ligue sempre os faróis, mesmo que seja durante o dia.

O início da chuva é o momento mais crítico. Seja uma simples garoa, seja um temporal, ela pode surpreender o motorista. A pista, assim que recebe o início da água da chuva, transforma-se em uma espécie de armadilha, graças à perigosa mistura de água, resíduos de óleo, combustível e sujeira. Esta mistura gera um líquido extremamente escorregadio, que compromete em muito a aderência dos pneus ao solo,principalmente nas rodovias.

Também ocorre o choque térmico. Quando bate nos vidros quentes do carro, a água fria da chuva forma o chamado embaço que é perigoso, pois prejudica a visibilidade do motorista. Mesmo com os pneus e freios em bom estado a frenagem na chuva deve ser suave e progressiva. Assim, quando frear não pressione bruscamente o pedal, mas pise suavemente.

Acione sem demora o limpador de pára-brisa e o sistema de ventilação (para desembaçar os vidros). Se for atravessar poças, procure pontos de referência como outros carros e postes. Mantenha a primeira marcha em velocidade constante.

Se o carro morrer, empurre-o para um local alto e seco,se possível e não tente dar a partida novamente - se o carro tem seguropode haver uma dificuldade no recebimento justamente por esse "agravamento de risco".

Depois de atravessar uma poça grande, ande em velocidade reduzida e pise algumas vezes de leve no freio para secar as lonas traseiras (conforme o caso). Outra questão importante são os pneumáticos...observe se estão em condições. É só observar uma marca TWI ela indica se já esta na hora de trocar; em algumas fábricas essa marca é um pequeno triangulo, que faz um ressalto. abaixo disso é temeroso andar na chuva com esse pneu.

Um outro grande perigo nos dias de chuva é o calço hidráulico, que danifica o motor e provoca prejuízos. Ele acontece quando a água passa pelo filtro de ar e chega ao cilindro. Evite o problema conhecendo a altura do coletor de ar em relação ao chão. Depois da chuva, na hora da limpeza, deixe o carro aberto, pegando sol.

Para completar a faxina, procure um lava-a-jato e limpe o carro por dentro e por fora. Se for impossível não esperar porque já está na água e se você perceber que o escapamento está submerso (o som muda, fica parecendo som de bolhas; jamais desacelere. Se tiver que parar o veículo pise na embreagem, tire a marcha (coloque em ponto morto) e freie com cuidado (com o pé esquerdo). Tudo isso você deverá fazer o veículo acelerado. Aguarde, sempre acelerando, o volume de água abaixar (o som de bolhas pára e volta o som normal do escapamento volta), a priori,naquele momento, é a única forma de proteger o motor.

Saia com condições de chuva forte se realmente for necessário, se puder adiar, retardar ou postergar...faça-o.Sabemos que depois da chuva forte é que as preocupações aumentam.Nas áreas de risco, depois que água escoa é o momento de limpar o estrago que a chuva causou e ver o que foi perdido.

No dia seguinte ao caos, é fácil também encontrar na cidade oficinas cheias e muito barro nas pistas que ficaram alagadas. O prejuízo para quem passa pelos pontos de alagamentos é alto e a insistência em atravessar a pista tomada pela água pode custar mais caro do que muitos imaginam. Esteja sempre atento aos alertas da Defesa Civil.

(*) Rosildo Barcellos é articulista e professor da UCDC.

Cinco ações que devem ser evitadas em 2017
Ao fim de cada ano, realizo uma pesquisa com funcionários de empresas de todo o Brasil para avaliar quais foram as coisas que mais impactaram na prod...
A aviação e suas regras
A aviação conseguiu, em menos de um século, aproximar os continentes, as empresas e, principalmente, as pessoas. Foi uma evolução tão rápida que não ...
Lei Orgânica da Assistência Social – 23 anos
Nos últimos anos, a Assistência Social vem construindo uma nova trajetória, organizando-se sob novos padrões e afirmando-se como parte integrante do ...
Morre no trânsito o equivalente a 2 aviões da Lamia lotados por dia
Por dia, no Brasil, morrem em acidentes de trânsito o equivalente a ocupantes de dois aviões da Lamia, que transportava o time inteiro da Chapecoense...



Quero aproveitar que li estes depoimentos e acrescentar o meu.Fui aluna do mestre Barcellos e posso assegurar que nunca mais fui a mesma.Primeiro que cada aula era uma palestra e ele parece que captava nossos problemas e dizia o assunto e exemplificava com aquilo que voce estava pensando no momento.É incrível. Obrigada professor,nunca pare de escrever e de nos orientar e aonde estiver saiba que eu aprendi contigo muito e procuro honrar tudo o que me ensinou e aviso que tem muito mais gente nesse Brasil afora com o mesmo sentimento que eu.Sua vida é voltada para o ensino e a dedicação ao próximo.Obrigada por permitir lhe conhecer e existir em nossas vidas.Mesmo aqui em outro país ouço sua voz conduzindo muitas de minhas atitudes.
 
Lummy Mayana em 22/01/2011 12:42:04
MUITO BOA A MATERIA, SO ESQUECEU DOS ITEMS DE SUGURANÇA (INDISPENSAVEIS) TAIS COMO: CORDA BASICA DE 20 MTS COM GANCHO NAS PONTAS. E UM BOTE INFLAVEL NO PORTA MALAS com motor eletrico -pode usar a bateria do veiculo que ficara preso no poste- I BOA SORTE.........
 
Paulo Duraes em 14/01/2011 12:27:56
Gostaria de parabenizar o Prof. Barcellos pelo artigo e, dizer da necessidade de conteúdos significativos como estes, serem divulgados em contextos diversos e concomitantemente ,abrirmos espaços para aprendizagem e discussões rotineiras, contínuas, pois somente assim, conseguiremos uma cultura de cuidados e conscientização em relação aos fatos que aparentemente ,são insignificantes,mas que na realidade custa vidas.
 
Nosimar Ferreira em 14/01/2011 11:46:04
Artigo impecável. Sou de Aracaju/SE e há tempos acompanho o que o Prof. Rosildo Barcellos escreve. Sei que é uma das maiores autoridades no quesito: Trânsito; do Centro Oeste e sempre busco tudo o que ele escreve e republico por aqui.Mas a opinião do Sr Paulo Durães é a azeitona que faltava nos excelentes e úteis comentários mencionados no texto.Parabéns ao campograndenews por ter esse ícone como articulista.
 
Daniela Flores em 14/01/2011 07:52:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions