A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

27/10/2014 13:10

Quem ganhou, quem perdeu?

Por Antônio Cézar Lacerda Alves (*)

Acabou a eleição de 2014. Ontem foi seu último dia. Todas as conjecturas, confirmadas ou não, perderam o sentido.

Veja Mais
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo

Os grupos de WhatsApps estão silentes, muita gente se retirando, alguns até se despedem, outros simplesmente desaparecem.

O clima é de ressaca. Muita gente recolhendo cacos e sonhos esparramados nas calçadas, revirando esperanças soterradas nos escombros.

Quem ganhou? Quem perdeu?

Sinceramente, isso é o que menos importa. Numa democracia não há vencedores e nem vencidos, pois não é admissível concluir que a metade do povo ganhou e a outra metade perdeu.

Não é admissível concluir que os pobres ganharam e que os ricos perderam, ou vice-versa, ou que o bem e o mal estavam se matando pelos mesmos fins...

Numa democracia quem sempre ganha é o povo. Povo maiúsculo, povo inteiro.

Por isso, "Viva a Democracia!", pois, mesmo sabendo que o povo muitas vezes erra, feliz é o país onde o povo pode escolher seus governantes... Feliz é o país onde o povo pode errar, ou, acertar!!!

A eleição, portanto, é o momento supremo da democracia; mas, ao fim dela precisamos juntar nossos cacos, restaurar nossos sonhos e revigorar nossas esperanças. Precisamos nos juntarmos, novamente, como povo, único e soberano, em prol da nossa cidade, do nosso estado e do nosso país.

(*) Antônio Cézar Lacerda Alves, advogado

 

Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...
Educação e o futuro da alimentação
Educação deve colaborar na preparação de todos para o pleno exercício da cidadania e, especialmente, formar os jovens para uma vida profissional que ...
Convenções internacionais e competitividade
O Brasil precisa atuar com mais critério na hora de analisar e ratificar convenções multilaterais, especialmente as negociadas no âmbito de entidades...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions