A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2017

23/02/2016 15:52

Sobre o delírio, o roubo e a mentira!

Por Valfrido M. Chaves (*)

O roubo e a mentira são faces de uma mesma moeda. Não há ladrão que não minta, enquanto quase todo mentiroso roube. O roubo e a mentira são práticas através das quais o elemento se engrandece de modo doentio, para anestesiar as dores de sua alma! E suas dores, leitor, provém de uma baixa autoestima que o infelicita no convívio social.

Veja Mais
Elementos da teoria da decisão
O diálogo inter-religioso

Inferiorizado, tomado de invejas, ao tomar do outro seus bens e valores, o elemento busca incorporar a si mesmo a pessoa invejada que surrupiou. Ao mentir, enganar, busca se sentir superior fazendo do outro um tolo qualquer.

No caso da corrupção, quando grandes recursos são amealhados da coisa pública, uma de suas motivações é justamente alimentar um delírio de impunidade, graças ao qual o sujeito se sente acima da lei, da justiça e do moral aos quais o cidadão “normótico” se sujeita! Aqui, leitor, vemos a mesma dinâmica anterior onde a pessoa busca, de modo perverso e delituoso, sentir-se superior para, justamente, anestesiar seus sentimentos de inferioridade.

A busca doentia por ilusão de superioridade se manifesta, também, como fenômeno grupal, em associações, partidos políticos, ideologias. As ideologias messiânicas totalitárias, que prometem redenção e eliminação absoluta de males, canalizam com facilidade muito grande as pessoas que buscam, através de mecanismos compensatórios, se sentirem seres superiores, até semi-deuses.

O Nazismo e o Comunismo são exemplos perfeitos do que afirmamos. O Nazismo transformava seus adeptos em agentes da pureza racial, da beleza, com a eliminação das raças inferiores da face da terra! O Marxismo transforma seus crentes em “agentes da História”, autorizados a tudo praticarem para eliminar da face da terra a fonte de todos seus males: a propriedade privada e a burguesia! Essas militâncias ideológicas, de modo deliroide, se sentem acima do moral, da verdade e da mentira, em sua luta redentora do mundo! A tudo estão autorizados!

Nós brasileiros, na presente quadra, estamos testemunhando um verdadeiro show dessas manifestações deliroides, quando o maior assalto à coisa pública de nossa história nos é esfregado na cara, e negado com cinismo nunca visto pelos meliantes, no caso, agentes onipotentes da História! Pelo menos, esse é o delírio que os anima! Até onde isso vai? Vemos uma luz no fim do túnel? A Justiça, a Lei, o MPF, a Polícia Federal, com apoio da população, resgatará até mesmo a saúde mental e grupal dos brasileiros?

(*) Valfrido M. Chaves é psicanalista, pós-graduado em política e estratégia. 

Elementos da teoria da decisão
A propósito do fim do ano de 2016 (terrível na política e na economia) e com o ano de 2017 (com esperanças de que as coisas melhorem), participei de ...
O diálogo inter-religioso
Desde a declaração Nostra Aetate, do Concílio Vaticano II, a Igreja busca manter o diálogo inter-religioso. Aí surge a pergunta: Por que o diálogo co...
Embarque comprometido
O Brasil está entre os cinco melhores mercados de aviação doméstica, mas há quase dois anos vem perdendo demanda por conta do cenário econômico. Só e...
Travessia sustentável
O Relatório Anual do FMI (Fundo Monetário Internacional), sobre a situação econômica de seus países-membros, saiu em novembro do ano passado e projet...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions