A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2017

11/12/2013 09:03

Uma viagem histórica: Forte de Coimbra

Por Heitor Freire (*)

Participei com minha mulher, associados do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul e convidados, de uma Jornada de Pesquisa Científica do IHGMS em Forte de Coimbra, localizado à margem direita do Rio Paraguai, 70 quilômetros abaixo do Porto Morrinhos.

A Jornada foi uma iniciativa conjunta do Instituto com o Comando Militar do Oeste. Fomos recepcionados pelo Comandante Militar do Oeste, general João Francisco Ferreira que, acompanhado por sua esposa Tânia nos proporcionou um atendimento caloroso e carinhoso. O general, apesar do alto cargo que ocupa, se caracteriza pela simplicidade no trato e pela gentileza no comportamento.

Toda a logística, desde a nossa saída até a nossa volta, esteve a cargo do coronel Valdenir de Freitas, assessor de Patrimônio Histórico e Cultural do Comando Militar do Oeste, que com sua reconhecida competência e capacidade, agiu com a estratégia de um oficial de estado maior. A disciplina, a ordem e o cumprimento do quadro de atividades foram observados em todos os momentos.

O deslocamento foi feito de ônibus até Porto Morrinhos, onde fomos recepcionados pelo coronel Gilson Rocha Júnior, chefe do Estado Maior da 18ª Brigada de Infantaria da Fronteira e sua esposa Jaqueline. Daí até o Forte, fomos de lanchas voadeiras onde nos recebeu o major Airton Corrêa, comandante da 3ª Companhia de Fronteira e nosso anfitrião.

O professor, coronel e associado do IHGMS, Francisco Mineiro, foi o mestre de cerimônias de todas as atividades, juntamente com o professor Hildebrando Campestrini que nos deram verdadeiras aulas de história, de civilidade e de geografia. Foram três dias de intenso programa de trabalho, desde o amanhecer até o anoitecer. Aprendemos muito sobretudo sobre a participação do Exército Brasileiro, esse braço forte e mão amiga, que estende sua proteção por todo o território nacional.

Em 13 de setembro de 1775 foi fundado o Presídio de Coimbra. Presídio era a designação com que os portugueses denominavam os povoados iniciais por eles criados, com a destinação de defender uma praça militar ou forte. E correspondia à política adotada por decorrência da assinatura com os espanhóis do Tratado de Madri, em 1750. Este Tratado baseado no princípio do uti possidetis dava posse efetiva da terra para quem a estivesse ocupando.

Assim, a ocupação do território era de fundamental importância para Portugal que dessa forma delimitava sua fronteira oeste. O Tratado de Tordesilhas que foi anterior ao de Madri era flagrantemente prejudicial aos interesses de Portugal.

O Forte de Coimbra se destaca não só por sua heróica história, mas também, por sua posição estratégica e pelas lições de disciplina e de brasilidade que caracterizam sua história.

Hoje, o Forte figura como um verdadeiro baluarte da presença brasileira na manutenção da fronteira nacional, alem de representar um monumento a ser preservado não somente pela sua arquitetura, mas principalmente pelo legado histórico acumulado por mais de 238 anos. Há lá uma frase inscrita em um muro, que bem representa o espírito reinante e o que significa a sua história: “A dor é momentânea, mas o orgulho fica para sempre”.

No ano que vem, no dia 27 de dezembro de 2014, o Instituto Histórico e Geográfico em parceria com o Comando Militar da Oeste vai programar a comemoração do sesquicentenário da invasão pelos paraguaios por ocasião da Guerra da Tríplice Aliança. Como se vê o que não falta é motivo para comemorar.

(*) Heitor Freire é corretor de imóveis, jornalista e vice-presidente do IHGMS (Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul).

Logística reversa: pensamento sustentável pelas gerações futuras
Incertezas são o que mais temos, porém ideias norteadoras e essenciais para a construção de um futuro mais sustentável já existem. Não podemos ignora...
Quando, também na escola, se dialoga sobre as religiões
Temos percebido uma crescente preocupação acerca do papel social da escola e da educação que acontece neste espaçotempo. Numa perspectiva de sociedad...
19 anos de Código de Trânsito Brasileiro
No dia 22/01/17, o atual Código de Trânsito Brasileiro completa 19 anos de vigência. Após 31 Leis que o alteraram, com o complemento de 655 Resoluçõe...
Previdência Social: verdades e mentira
Com a reforma da Previdência, e já que acabaram com o Ministério da Previdência, vários ministros dispararam versões sobre o tema, mas como não sabem...



Somos conscientes de que nossas vidas dependem da sabedoria humana e dessa magia que a natureza nos revela; Fico feliz em saber que ainda há pessoas que se preocupam com a nossa história outrora galgada sob a beleza geográfica do nosso país.
Parabens ao Sr Heitor Freire (Osias e família)
 
Osias Pereira em 14/12/2013 11:51:04
Conhecendo aquelas paragens do nosso grande território brasileiro do tempo em que servi no glorioso Comando da 9ª Região Militar, e vendo esta brilhante reportagem me veio à memória uma frase do grande General Rodrigo Otávio, quando comandou as forças do Exército na Amazônia, que cabe muito em ao Forte Coimbra e à nossa fronteira Oeste: "Difícil é a a missão de preservar o nosso território, mas grande e heróica foi a tarefa dos nossos antepassados em conquistá-lo e mantê-lo"
 
José M. Perassolo em 11/12/2013 10:16:41
Queridos Sul mato-grossenses.
Muito me deixa lisonjeado afirmar, que Forte Coimbra é a minha linda, sublime e Eterna Terra Natal!
 
João Batista Paiva em 11/12/2013 09:25:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions