A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

26/10/2016 17:09

Quase metade das rodovias em MS tem condição regular, aponta pesquisa

Anny Malagolini
BR-163 em Mundo Novo, privatizada em 2015 (Foto: Divulgação)BR-163 em Mundo Novo, privatizada em 2015 (Foto: Divulgação)

Mais de 40% das estradas em Mato Grosso do Sul estão em estado 'regular', é o que aponta a pesquisa realizada pela CNT (Confederação Nacional de Transporte), que avaliou a condição de 4.361 quilômetros de extensão das estradas do Estado. Segundo o levantamento, as rodovias com avaliação “boa” ou “ótima” passaram de 43,8% para 46,4% da malha entre 2015 e 2016.

Veja Mais
Amiga teria dado Cytotec a grávida e pode responder por duplo homicídio
Nas estradas só 2% dos passageiros de ônibus usam cinto de segurança

O estudo avaliou as condições gerais, pavimento, sinalização e geometria da via em 26 rodovias, de domínio federal e estadual. Ao todo, 7.982 km das estradas estão pavimentadas e o resultado da avaliação mostrou que 1.776 km são regulares e 33 km estão em péssimas condições de tráfego.

A condição das estradas no Estado, em relação ao ano passado, melhoram em todos os critérios. No comparativo, a sinalização das rodovias mostrou ter melhorado em 158 quilômetros. A participação das estradas com avaliação “péssima” caiu em todos os segmentos de estudo.

A única rodovia considerada ruim em todos os itens foi a MS-395, entre os municípios de Bataguassu e Três Lagoas. A via é utilizada para escoamento de celulose.

A melhor BR-436 foi a única a receber boas avaliações em todos os critérios. O pavimento foi considerado ótimo, e o restante 'bom'. A privatizada BR-163, sob domínio da CCR MSVia desde 2015, em três critérios de avaliação foi classificada como 'bom', exceto a geometria da via que foi taxado como 'regular'. Nota semelhante a BR-262, que cruza o Estado entre oeste e leste.

Avaliação geral – O quesito pavimento teve seu melhor desempenho, considerando que 1.969 km foram avaliados como ótimos em razão do asfalto. Apesar da avaliação positiva, o pavimento foi considerado desgastado em 3 mil quilômetros contra615 km em perfeito estado.

A sinalização das estradas também recebeu diagnóstico positivo, e de acordo com a pesquisa, 2.128 km apresentaram boa situação.

O projeto das vias, que define características geométricas do traçado e define a segurança das rodovias, foi considerado péssimo em 1.474 mil quilômetros e resultou na pior avaliação.
O panorama também mostrou que 4.213 km são formados por pistas simples de mão dupla e apenas 148 km são de pista dupla.

País - A má qualidade das rodovias é reflexo de um histórico de baixos investimentos no setor. Em 2015, o investimento federal em infraestrutura de transporte em todos os modais foi de apenas 0,19% do PIB (Produto Interno Bruto). O valor investido em rodovias (R$ 5,95 bilhões) foi quase a metade do que o país gastou com acidentes apenas na malha federal (R$ 11,15 bilhões) em 2015. Já em 2016, até setembro, dos R$ 6,55 bilhões autorizados para investimento em infraestrutura rodoviária, R$ 6,34 bilhões foram pagos.

A etapa de coleta da Pesquisa CNT de Rodovias 2016 foi realizada entre 4 de julho a 2 de agosto.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions