A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

26/11/2016 19:08

Parada da Diversidade percorre ruas da cidade em defesa da igualdade

15ª edição do evento deve reunir 40 mil pessoas, de acordo com a organização

Elci Holsback
Direitos iguais, nem menos, nem mais é o tema do evento neste ano (Foto: Marina Pacheco)Direitos iguais, nem menos, nem mais é o tema do evento neste ano (Foto: Marina Pacheco)

Com expectativa de atrair 40 mil pessoas, a 15ª Parada da Diversidade iniciou pouco antes das 18h com saída da Praça Ary Coelho. O tema da iniciativa neste ano é "Direitos iguais, nem menos, nem mais", assunto que foi amplamente ressaltado pela organização do evento. "Somos gente como todos, temos nossa cultura, isso aqui é nossa cultura. Temos sentimentos e só queremos respeito e igualdade", destaca um dos organizadores da parada e presidente do Fórum Estadual LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais) Frank Raffatt.

Veja Mais
Organização espera reunir 40 mil pessoas na Parada da Diversidade
Protesto de taxistas atrapalha trânsito e irrita motoristas

Dois trios elétricos, e uma bandeira com quase 100 metros nas cores símbolo da diversidade fazem parte da caminhada que iniciou na Rua 14 de Julho e segue para a Praça do Rádio Clube, onde haverá shows com artistas nacionais e regionais. A Miss Transex Mato Grosso do Sul 2016, Daniela Lima está entre as atrações do evento e havia até fila para fazer fotos com ela. "Mais que uma festa, esse evento mostra às pessoas que somos normais, trabalhamos, estudamos e queremos ser respeitados. O preconceito já melhorou muito, as pessoas estão mais receptivas, mas ainda é preciso trabalhar pela causa, pela igualdade", ressalta a miss, que também é estudante do curso de Educação Física e trabalha como maquiadora.

Miss Transex MS, Daniela Lima acredita que evento colabora para a redução do preconceito (Foto: Marina Pacheco)Miss Transex MS, Daniela Lima acredita que evento colabora para a redução do preconceito (Foto: Marina Pacheco)

A atendente Ana Claudia Martinez participa da parada desde a primeira edição e acredita que a cada ano a luta pelos direitos dos homossexuais se fortalece. "Sou lésbica, sei o que é o preconceito, mas ainda acredito sofrer menos que muitos amigos gays do sexo masculino, que são obrigados a ouvir piadas ou até mesmo ser agredidos pela sua orientação sexual", comenta.

Educação contra o preconceito - Crianças, idosos e famílias também participaram do evento e entre as famílias está a da professora Geovana Lima, que em apoio aos amigos, participa todos os anos da parada. Agora casada e mãe, ela traz o marido e a filha de nove meses para o evento. "Muitos que estão aqui são meus alunos e acredito ser importante apoiar a luta pela igualdade, quero criar minha filha livre de proconceitos", afirma a professora.

O segurança Thiago Goulart, marido de Giovana, apoia a esposa e acredita que combatendo a homofobia, a sociedade será melhor estruturada. "É preciso acabar com o machismo. Sou a favor de todos tratados de maneira igual", comenta.

Entre as atrações da Parada da Diversidade estão a cantora Nikki, Banda Lilás e apresentações de drag queens de Mato Grosso do Sul e convidadas de outros Estados.

Casal acredita que a educação pode formar uma sociedade sem preconceito (Foto: Marina Pacheco)Casal acredita que a educação pode formar uma sociedade sem preconceito (Foto: Marina Pacheco)
Protesto de taxistas atrapalha trânsito e irrita motoristas
A carreta na Avenida Afonso Pena foi contra o aplicativo Uber, que fez cair o movimento dos táxis....
Nando, que só enforcava, confessa 1º crime sangrento
O serial killer falou sobre a morte de um homem de 45 anos que foi degolado porque roubou um aparelho de roubar brinquedos. Na conversa com um polici...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions