A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

02/08/2012 19:04

Santa Casa passou a atender mais 750 pacientes com novos leitos

Nicholas Vasconcelos

Hospital reativou 150 novos leitos em um ano

Hospital reativou 150 leitos entre junho de 2011 e junho de 2012. (Foto: Rodrigo Pazinato)Hospital reativou 150 leitos entre junho de 2011 e junho de 2012. (Foto: Rodrigo Pazinato)

A Santa Casa de Campo Grande passou a atender mais 750 pacientes por mês pelo SUS (Sistema Único de Saúde) com os 150 novos leitos criados entre junho deste ano para junho de 2011, com o tempo de internação de 5 dias para cada internação . A informação é do diretor da junta interventora do hospital, Antônio Lastória.

O número de leitos passou de 355 para 500 no sistema de saúde, segundo dados do CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde). As unidades estavam desativadas e atendem as áreas de trauma, pacientes em estado crítico, cardiovascular, saúde mental e urgência materna e infantil.

De acordo com Lastória, o custo dos novos leitos reflete diretamente sobre a dívida do hospital. “Cada novo leito custa R$ 1 mil por mês e os leitos de UTI custam R$ 1,2 mil por mês. Da unidade de terapia, o SUS só repassa R$ 505”, declarou.

Em 2011, a Santa Casa acumulou dívida de R$ 84 milhões, um aumento de 22% em comparação ao valor de R$ 68,9 milhões de 2010. O hospital está sob intervenção desde 2005.

O diretor da junta interventora da Santa Casa, Antônio Lastória, explica que cada leito custa R$ 1 mil por mês. (Foto: Rodrigo Pazinato)O diretor da junta interventora da Santa Casa, Antônio Lastória, explica que cada leito custa R$ 1 mil por mês. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Os valores devidos foram apontados pela auditoria KPMG Auditores Independentes e apontam que a unidade tem déficit R$ 10,1 milhões por ano.

“Hoje nós estamos com 16 salas de cirurgia operando, três salas de cirurgias oftalmológicas, os dois tomógrafos e vamos criar o serviço de ressonância dentro de 15 dias”, explicou.

Segundo Lastória, a urgência encarece o funcionamento do hospital e apesar do déficit, ela vai seguir como foco da Santa Casa. "Nós precisamos manter o atendimento de urgência e a qualidade desse serviço", finalizou.



imagem transparente

Desenvolvido por Idalus Internet Solutions