A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

13/05/2012 13:31

Tempinho ajuda e almoço das mães movimenta os restaurantes

Paula Maciulevicius
Movimento intenso nos restaurantes da Capital, de fora, a fila de quem aguardava por uma mesa. (Foto: Paula Maciulevicius)Movimento intenso nos restaurantes da Capital, de fora, a fila de quem aguardava por uma mesa. (Foto: Paula Maciulevicius)

O domingo foi de movimento intenso nos restaurantes em Campo Grande. Do lado de fora a fila de quem aguardava por uma mesa e dentro, o barulho dos pratos sendo colocados aos clientes, de pedidos e os telefones que não paravam de tocar solicitando entregas.

Veja Mais
Em floriculturas de Campo Grande, movimento é intenso no Dia das Mães
Dia das Mães amanhece com neblina em Campo Grande; previsão aponta mais chuva

Além da data, o tempo de chuva e friozinho também ajudou, o domingo está mais do que propício para comemorar o Dia das Mães em torno de uma mesa de massas.

Proprietário de uma casa de massas, Rafael Frainer, 35 anos, reforçou o número de funcionários, tanto no salão, como na cozinha. Para servir os clientes foram colocados mais sete garçons.

A fila de quem esperava por uma mesa tomava parte da rua. Uma tenda foi colocada para que mães e filhos não tomassem chuva. A direção do restaurante calcula que até 12h30 tenham passado em média 300 pessoas.

“Estamos com o triplo do movimento hoje e enquanto tiver cliente vamos estar abertos”, disse. A previsão é de que o restaurante atenda para o almoço até 16h.

A bioquímica Ana Olívia Esposito, 32 anos, era sortuda entre as mães. Em pleno horário de pique estava deixando o restaurante com as filhas, todas satisfeitas. “Já almocei porque cheguei cedo”, comenta. A família veio ao restaurante por volta das 11h25, quando ainda não havia fila.

Na mesma região, o outro restaurante concentrava, além da fila, motoristas procurando onde estacionar. A previsão, segundo a proprietária Silvia Menegazzo, era de receber 500 clientes durante todo o horário de almoço, que também se estenderia enquanto houvesse gente na fila.

“Convocamos todos os funcionários, gente para cozinha, salão, atendimento”, explicou a proprietária.

Os últimos da fila, Ana Cecília Cançado e a família aguardavam pelo menos 10 mesas até chegar a vez deles. Quem sugeriu o restaurante foi o filho João Antônio Soares, 22 anos. Escolha que requer paciência dos demais. “Tem que vir com humor de comemoração. É sempre cheio, mas se não vier assim, desiste e perde a fome”, brincou Ana Cecília.




Sera que esses donos de restaurante não ouviram falar de rotatividade? A gente sai no dia das mães não é pra passar o dia sentados numa mesa de restaurante, simplesmente queremos almoçar, ser bem atendidos, pagar a conta e ir embora. Ja deixei de ir a diversos lugares em CG por conta dessa mania, ja vi gente dar barrado em um bar famoso por conta disso (q por sinal parou com essa mania ridicula)
 
Catia Aparecida em 14/05/2012 08:08:47
A gente bem sabe do super movimento no dia das mães, saimos preparados para enfrentar fila, espera, beleza, mas o que não me entra na cabeça é chegar num estabelecimento apinhado de gente na porta esperando, e no interior diversas mesas vazias reservadas, que ficam la por horas esperando o precavido cliente que teve o bom senso de ligar reservando, ai a gente é obrigado a ficar em pé, esperando.
 
Catia Aparecida em 14/05/2012 08:05:13
Há gosto para tudo, imagina se eu vou ficar em fila esperando para pagar para almoçar; ainda mais com minha mãe já de idade.
 
luiz alves em 14/05/2012 07:33:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions