A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

24/10/2016 12:25

Tentativa de fuga no Instituto Penal estaria ligada a guerra entre facções

Yarima Mecchi
Presos tentaram fugir do IPCG. (Foto: Alcides Neto)Presos tentaram fugir do IPCG. (Foto: Alcides Neto)

A tentativa de fuga que aconteceu ontem (23) no Instituto Penal de Campo Grande (IPCG) estaria relacionada a mais um ato da guerras entre facções, que acontece dentro e fora dos presídios. De acordo com servidores que não quiseram se identificar e são ligados ao sistema de segurança, dois dos quatro envolvidos são do Comando Vermelho e estariam fugindo por medo.

Os servidores dizem ainda que a instabilidade nas unidades penais é causada por mo
tins, brigas e até homicídios mascarados de parada cardíaca, uma bebida conhecida como 'gatorade' causa a morte do preso que é obrigado a tomar e em alguns casos é possível nota escoriações no entorno dos lábios.

Veja Mais
Presos tentam fugir de presídio se escondendo em sacos, mas são pegos
Presos tentam fugir de penitenciária por buraco feito no teto de cela


O diretor-presidente da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), Ailton Stropa, nega que as tentativas de fuga estão ligadas ao medo que detentos tem de motim ou rebeliões. "Nenhum preso disse que queria fugir porque tinha medo disso ou daquilo. Todos são ouvidos e nunca houve essa confirmação".

Stropa ressaltou que os detentos que tentaram fugir do IPCG ainda não foram ouvidos e não é possível afirmar qual foi o motivo da tentativa de fuga. "A fuga é uma ocorrência própria do ambiente prisional. Quem está lá são bandidos que muitas vezes tem uma grande pena e querem fugir".


Em relação a ligação dos preso com facções criminosas, Stropa disse que a gerência de inteligência vai fazer uma investigação a respeito do perfil desses presos. "É feito uma investigação de informação pela Gerência de Inteligência para saber se tem relação ou não e que tipo de liderança".


Sindicato pede efetivo - O presidente do Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária (Sinsap), André Santiago, pede que tenha acréscimo no efetivo dos agentes para que tenha mais segurança e qualidade no serviço. "O sindicato acredita que os fatos que vem acontecendo gradativamente, desmonstrando a fragilidade".


Ainda de acordo com Santiago, o sindicato pede para que o Governo do Estado convoque mais que 438 servidores que passaram no concurso. "O sindicato solicita que ele convoque um número maior, tem uma média de 1,2 mil aprovados mas está limitando a 438 vagas. Se analisar, vão abrir mais três unidade penais e o que ja tem no Estado, o número é muito baixo".

Agentes pedem mais efetivo nos presídios. (Foto: Alcides Neto)Agentes pedem mais efetivo nos presídios. (Foto: Alcides Neto)

Fuga - Quatro presos tentaram fugir do IPCG serraram as grades de duas celas e chegaram a se esconder em meio a sacos, na sala da oficina de produção de vassouras, mas foram flagrados por agentes penitenciários. De acordo com a Agepen eles não trabalhavam no local e só usuram para se esconder.

Anderson Lopes da Rocha, 25 anos, Weslen Ferreira dos Santos, 23 anos, Lucas Otoniel Higa, 29 anos e Rogério Machado de Souza, 22 anos, serraram grades das celas disciplinares 2 e 3 e o gradil instalado na área superior do solário, e se esconderam em meio a sacos na oficina de trabalhado. Com eles havia uma corda artesanal, conhecida como “Teresa”.

Os quatro presos foram isolados em cela forte e serão transferidos para outro presídio. Eles tem passagens por tráfico de drogas e roubo.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions