A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

26/09/2011 17:19

Concurso para professor traz de volta a polêmica sobre exame antidoping

Marta Ferreira

Edital de seleção que abriu inscrições hoje exige teste para uso de maconha e de cocaína

O concurso para contratar 545 professores da rede estadual de ensino em Mato Grosso do Sul, que abriu inscrições hoje, trouxe de volta uma polêmica: a exigência de teste toxicológico para maconha e cocaína. O teste, segundo o edital, deve fazer parte dos exames apresentados pelos candidatos aprovados, na fase de posse nos cargos.

No ano passado, o Governo do Estado já havia feito essa exigência, quando convocou 145 candidatos de um concurso feito anteriormente, mas acabou desistindo, após manifestaões contrárias das entidades que representam os professores e do CDDH (Centro de Defesa dos Direitos Humanos).

Agora, a exigência passou a fazer parte do edital de abertura do concurso, contra a vontade da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação Pública de Mato Grosso do Sul). Durante as negociações que resultado no compromisso do governo do Estado de abrir, até 2013, quatro processos seletivos, a entidade tentou derrubar essa exigência, sem sucesso.

Diante da manutenção do teste antidoping, a entidade estuda a possibilidade de entrar na Justiça. O secretário de Finanças da Fetems, Jaime Teixeira, informou que a área jurídica da entidade sindical está analisando o assunto.

Para o sindicalista, é uma medida discriminatória e que vai contra ao comportamento que tem sido orientado aos empregadores, de buscar tratamento para os funcionários que desenvolvem dependência química e não afastá-los ou rejeitá-los.

A exigência dos exames tem feito parte de outros processos seletivos, como o que está em cargo para o Detran (Departamento Estadual de Trânsito).

A secretária de Educação, Maria Nilene Badeca, foi procurada e informou que as exigências são definidas pela Secretaria de Administração, que define os padrões dos concursos públicos.

Em ocasiões anteriores, a Secretaria de Administração informou que a exigência do teste é regulada por lei estadual tratando dos exames médicos exigidos em concursos públicos.

Tema controverso-O assunto é polêmico mesmo entre os estudiosos do Direito. Na esfera federal, não existe previsão legal para a realização dos testes toxicológicos em concursos públicos, mas também não há proibição prevista.

O advogado constitucionalista André Borges afirma que há especialistas que defendem a prerrogativa do Governo de fazer os testes e há outros que vêem desrespeito a direitos individuais.

“Eu considero uma medida discriminatória e invasiva da privacidade”, diz o advogado. Para ele, o estado já tem uma medida de avaliar se o funcionário serve ou não para a função por meio do estágio probatório. "Essa a decisão deveria ser repensada".

No concurso do Detran, houve uma reclamação ao MPE (Ministério Público Estadual), feita pelo CDDH, mas o edital do concurso foi mantido.

Veja Também
Universidade Estadual oferece 2.388 vagas e 719 para negros e índios em 2015
Em 2015, a UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) irá oferecer 2.388 vagas para novos alunos em 15 municípios. A informação foi divulgada...
Avaliação da alfabetização começa a ser aplicada em escolas de todo o país
Estudantes do 3º ano do ensino fundamental de escolas públicas de todo o país começaram a responder às questões da Avaliação Nacional da Alfabetizaçã...


Sou a favor de exigir esse teste nao so para professores assim como para todas as pessoas as quais exercam funcoes q exigem atencao e equilibrio mental,motoristas,controlodores d voo,entre varias ,,mas mandar um beckzin depois de um exaustivo dia de trabalho nao faz mal nenhum,beber alcool ,cocaina,crack,ai sim e uma desgraca total,,,e as plantas ,sao da natureza!
 
Frederico Wolf em 29/11/2011 02:28:40
Concordo plenamente com a medida. Deveria ser implementada em todas as instituições do Estado Federal.
O advogado que alega "ir contra o direito individual" está em delírio. Ele deveria saber que está em conflito o seguinte: a liberdade individual de consumir droga (ninguém nega) contra o DIREITO COLETIVO E PÚBLICO DE TER UM AMBIENTE EM QUE PREVALEÇA A SAÚDE PÚBLICA.
 
João Paulo Anjos em 03/10/2011 08:06:23
Espero que nossos futuros vereadores, prefeitos, deputados e governadores, também aderem a esta prática antes de assumir suas funções e façam o exame antidoping, afinal o bom exemplo começa de cima e lei é lei e todos devem se enquadrar nela.
Não é verdade?
 
José Maria da Silva em 27/09/2011 12:48:41
Concordo plenamente a final são os professores que estão a maior parte do dia com nossos filhos. Não gostaria de ver o professor do meu filho em passeata a favor das drogas
 
Rute Peres em 27/09/2011 10:52:46
E porque não? E não deveria ser só na admissão, o exame deveria ser repetido anualmente, como já disseram: "Quem não deve, não teme" Estamos falando de educadores, formadores de opinião, pessoas com forte influência sobre as nossas crianças e adolescentes e não de pintores de parede. Verdadeiramente politicamente correto é aquele que concorda com tais exigências.
 
Claudio Arantes - CG/Amambai em 27/09/2011 10:47:52
Medida acertada pois é inconcebível quem ensina ou doutrina praticar atos contrários aos ensinamentos propostos. E aproveitando o ensejo gostaria de alertar mais uma vez a falta de exigência por parte da SAD do Governo do Estado do Registro no CREF aos postulantes ao cargo de Prof. de Educação Física que rasga totalmente a Lei 9696/98 que criou e regulamentou a profissão de Educação Física.
 
Eriobaldo Pimentel em 27/09/2011 10:40:14
Em vez de se preocuparem apenas com professores a melhor decisão seria a realizaçao de testes ao Todos os alunos com idade superior a 14 anos. Exames de urina Aleatórios e Periódicos . Essa será a melhor forma de inibir o consumo de drogas e a maneira mais eficaz e BARATA de a tratar. Alem disso so existe traficante se houver consumidor. Logo se diminuir o consumo tambem vai diminuir a oferta.
 
herculano Anjos em 27/09/2011 10:29:09
Ao analisar os comentários podemos verificar que 99,90% das pessoas concordam com os exames. Então aqui está a resposta para quem não concorda. AS LEIS SAO FEITAS DE ACORDO COM O DESEJO DAS MAIORIAS. NO DIREITO NAO HA VALORES ABSOLUTOS .O DIREITO COLETIVO PREVALECE SOBRE O DIREITO INDIVIDUAL E NESTE CASO FAALAMOS DE SAUDE E SEGURANÇA PUBLICA. Logo o exame é a melhor Prevenção se for pela URINA
 
herculano anjos em 27/09/2011 10:25:34
Iniciativa acertadíssima do Governo do Estado de MS, já basta a vergonha que o STF submeteu toda a sociedade de bem deste País, liberando a "Marcha da Maconha". Há um princípio bíblico que nos ensina: "Tudo me é lícito, mas, nem tudo me convém", ainda que fosse lícito, não é conveniente à sociedade como um todo, ter nossos filhos sendo ensinados, por estes que precisam de tratamento adequado.
 
Nilson Pedro em 27/09/2011 10:06:29
Tá certo, tem que manter estes exames nos concursos mesmo,imaginem alguém, usuário de drogas, ensinando as crianças, nosso filhos.

Olha FETEMS espero que a reportagem esteja errada, e que vc´s não defendem essa prática. Sendo assim, é o fim da linha... o certo tá errado e o errado tá certo.
 
Luis Fernando M Silva em 27/09/2011 09:01:29
BRILHANTE IDEIA, PARABENS SO ASSIM TEMOS A CERTEZA DE QUE NOSSOS FILHOS NÃO ESTÃO SENDO ENCINADOS POR MARGINAIS, POR QUE O EDUCADOR QUE USA DROGA NA MINHA OPINIÃO E UM MARGINAL, TERIA QUE FAZER ISSO EM ALGUNS PROFESSORES DE HOJE TAMBEM, POR QUE SABEMOS QUE EXISTE ALGUNS FRACOS POR AI NAS SALAS DE AULAS
 
RITA ROCHA em 27/09/2011 08:51:11
Apesar de não terem filhos matriculados na escola pública, espero que os Magistrados também tenha esse mesmo bom senso, quando forem decidir qualquer mandado de segurança ou recurso impetrado por qualquer candidato "reprovados" no exame toxicológico.
 
daniel moura mayolino em 27/09/2011 08:41:38
Já que vai fazer, que comecem pelos próprios candidatos a cargos eletivos. Não sobraria um.
 
bruno Nodes em 27/09/2011 08:21:07
Muito bom, acho que deveria ser rotina professor que tem conduta (errada) fazer este exame constantemente.
 
reynaldo gomes bejarano em 27/09/2011 08:15:41
Então que façam o tal exame também para políticos ,como vereadores,deputados , prefeito e governador!!!
 
fernando oliveira cruz em 27/09/2011 07:55:11
É uma medida polêmica, mas é algo necessário.
E concordo com o que o George disse: é preciso que o dependente faça um tratamento antes de tudo, mas também é preciso que o estado dê assistência de verdade a ele e que haja um comprometimento verdadeiro para a cura do dependente.
 
Antônio Marcos Alencar em 27/09/2011 01:30:40
Concordo plenamente que o professor como formador de opinião deva ser antes de tudo a pessoa que não faça uso de qualquer vício.
A sociedade está cheia de "alunos de muitas instiuições" que sequer sabe viver em sociedade.
 
João Luiz em 26/09/2011 10:17:07
Não teve educação para se manter longe das drogas e quer ensinar crianças?? Daqui a pouco vão contratar professores pedófilos, afinal eles também são humanos.
 
João Rocha em 26/09/2011 09:48:35
Quem não deve, não teme...
 
ronald souza em 26/09/2011 09:41:34
Se a FETEMS é a favor da educação de qualidade deveria apoiar essa exigência. Ou que ela própria trate previamente esses "doentes químicos". O profissional que já entrar "doente" na escola, além de representar grande e desnecessário risco para a comunidade escolar, ainda vai dar despesas para a sociedade com eventuais afastamentos médicos.
 
Fernando Silva em 26/09/2011 09:31:49
Uma boa ideia e de muito valor a exigencia de teste toxicológico; quem é contra é porque é favor de uso de droga e essas pessoas não gostam da vida. A pouco tempos atrás vimos até ex-presidente a favor do uso de maconha, que vergonha.
 
luiz alves pereira em 26/09/2011 09:17:46
Tá certo o Estado, tem mesmo que recriminar as pessoas que fazem o uso de drogas, são essas pessoas que financiam a bandidagem, os traficantes que ficam ricos as custas dos trouxas.
 
renato rieff em 26/09/2011 07:33:35
Acho certo, e necessário. A responsabilidade de educar os filhos dos outros é muito grande. Ja não falta mais nada, educadores usuários de drogas. Quem não deve não teme. Estamos falando de EDUCAÇÃO.
 
Vera Lucia Diniz de Barros em 26/09/2011 07:23:31
Precisamos é de mais vagas governador, porque estão escondendo as vagas puras depois de tanto tempo sem concurso, verifique com seus mandados.
 
luizio espinoza em 26/09/2011 07:06:49
Quanto a maconha e a cocaina cada um com seu cada um mas, convenhamos né estamos em um mundo com muitos direitos, alega-se direito pra tudo! Dar aulas fumado ou cherado não dá! Existem algumas coisas que não condizem!
 
André Salgado em 26/09/2011 06:51:42
Acho que o mais importante aqui nesse concurso é o número de vagas. Sabemos de escolas com vagas, mas no edital não constam essas vagas... #Fato... Por quê ?!
 
Larissa Trelha em 26/09/2011 06:02:38
O estado está certo, eu não gostaria que minha filha fosse educada por um professor que defende os bons costumes de segunda a sexta feira e nos fins de semana sai nas avenidas defendendo o uso da maconha(incentivado pelas nossas leis) ! Na PM e nos Bombeiros é exigido e sou a favor! O dependente químico deve procurar(e querer) tratamento antes de educar crianças .
 
george conrado em 26/09/2011 05:52:24
imagem transparente

Desenvolvido por Idalus Internet Solutions