A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

21/10/2016 16:53

Doença que vitimou repórter mata um terço dos pacientes na hora

Christiane Reis
Michel Lorãn foi internado na quarta-feira (19). (Foto: Reprodução Facebook)Michel Lorãn foi internado na quarta-feira (19). (Foto: Reprodução Facebook)

A doença que provocou a morte do repórter da TV Morena, Michel Lorãn, é considerada rara e silenciosa, apesar disso, na quarta-feira (19), quando o jornalista deu entrada na Santa Casa, uma jovem, de 28 anos, também chegou ao hospital com a mesma doença e segue internada. Apesar da coincidência, segundo a neurocirurgiã, Valéria Ribeiro, que atendeu Michel Lorãn, a maior incidência ocorre em mulheres e a faixa etária é entre 40 e 60 anos de idade.

Veja Mais
Morre repórter de 25 anos que teve aneurisma; família vai doar os órgãos
MEC divulga gabarito da segunda prova do Enem; confira

Ela disse ainda que não existe fator de risco.“A pessoa já nasce com fragilidade na parede de uma das artérias cerebrais. Pode passar a vida sem saber que tem, pois o aneurisma não apresenta sintomas”, explicou. O paciente que tem o aneurisma pode ter o aumento brusco da pressão dentro do crânio, causando a hemorragia e fazendo um quadro de AVC (Acidente Vascular Cerebral) hemorrágico.

“Em média 1/3 dos pacientes que têm o sangramento por aneurisma morrem na hora; 1/3 dos casos em que ocorrem o sangramento o paciente vai óbito no hospital ou tem alta e segue com graves sequelas, mas também há um dado importante, 1/3 dos pacientes que têm o sangramento conseguem ter alta”, apontou.

 

A médica Valéria Ribeiro tem experiência de 25 anos. (Foto: Christiane Reis)A médica Valéria Ribeiro tem experiência de 25 anos. (Foto: Christiane Reis)

Ela reforçou que a doença não apresenta sintomas, mas que é comum o paciente se queixar de dor de cabeça pouco tempo antes de ocorrer o sangramento, não tendo tempo hábil de investigar o motivo da dor.

Segundo a médica, que tem experiência de 25 anos em neurologia, os dados mostram que a doença não é comum, acometendo de 10 a 20 casos a cada 100 mil habitantes.

Caso Michel - Michel Lorãn morreu na noite desta quinta-feira (20) após um aneurisma. Ele trabalhava em Corumbá e passou mal na noite de quarta-feira (19). Michel foi socorrido pela avó e levado ao hospital da cidade, mas por causa da gravidade do caso foi transferido para a Santa Casa da Capital.

De acordo com o irmão de Michel, Vitor Lorãn, ele fez exercícios em casa durante a noite e em seguida foi tomar banho. No banheiro vomitou e desmaiou. O irmão acredita que ele tenha batido a cabeça.

MEC divulga gabarito da segunda prova do Enem; confira
Os gabaritos das provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) aplicadas no último fim de semana estão disponíveis na internet e também no aplicati...
Postos são rápidos em aumentar preço da gasolina
O aumento autorizado desde terça-feira foi de 9,5% para a gasolina e 8,1% para o diesel. Motoristas reclamam que a elevação de preço sempre chega ráp...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions