A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 22 de Fevereiro de 2017

14/07/2015 12:34

PRFs protestam na Ponte da Amizade pedindo pagamento de indenizações

Liana Feitosa
Participantes caminharam com faixas e cartazes em trecho entre a delegacia da PRF e a Ponte da Amizade. (Foto: Divulgação PRF)Participantes caminharam com faixas e cartazes em trecho entre a delegacia da PRF e a Ponte da Amizade. (Foto: Divulgação PRF)

Cerca de 150 agentes da PRF (Polícia Rodoviária Federal) participaram de passeata em Foz do Iguaçu, no Paraná. Os participantes caminharam com faixas e cartazes em trecho entre a delegacia da PRF e a Ponte da Amizade, que liga a cidade de Foz do Iguaçu à Ciudad del Este, no Paraguai.

"A Ponte da Amizade é um símbolo conhecido do país quando se fala de comércio na fronteira. É um ponto comum aos servidores que atuam na fronteira, por isso foi escolhido", explica Lúcio Nogueira, presidente do SinPRF-MS (Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais de Mato Grosso do Sul).

De MS, participaram 15 policiais. O sindicato e a FenaPRF (Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais) buscam restruturação do plano de carreira, aumento de efetivo e regulamentação da indenização de fronteira, que prevê pagamento indenizatório a servidores em exercício em unidades que atuam estrategicamente vinculadas à prevenção, controle, fiscalização e repressão dos delitos transfronteiriços.

“Em MS, são 1.517 quilômetros de fronteira seca a serem fiscalizados pelos postos de Corumbá, Ponta Porã e Anastácio, corredor não apenas de entrada de drogas, como também saída de carros roubados no Brasil e os policiais não recebem adicional de fronteira por isso, o que acaba por desmotivar quem é locado nessas regiões”, explica.

Passeata cumpriu trajeto de quatro quilômetros e o trânsito ficou parado por 15 minutos. (Foto: Divulgação PRF)Passeata cumpriu trajeto de quatro quilômetros e o trânsito ficou parado por 15 minutos. (Foto: Divulgação PRF)

De acordo com Nogueira, a lei que prevê pagamento de indenização de fronteira já tem dois anos, mas não está regulamentada.

O sindicato também pede conscientização da população e apoio em relação a outros pontos comuns a servidores públicos de outros setores do funcionalismo como, por exemplo, o não pagamento de adicional noturno ou periculosidade. "Não recebemos esses adicionais e esse não é um problema exclusivo da PRF", amplia o sindicalista.

A passeata cumpriu trajeto de quatro quilômetros e o trânsito ficou parado por 15 minutos e, depois, lendo nos dois sentidos. Na Ponte da Amizade, os PRFs cantaram o Hino Nacional e fizeram panfletagem e adesivagem de carros.

"Queremos mostrar para a sociedade que estamos numa luta justa, queremos buscar a sensibilidade da população em relação às nossas reivindicações", completa Nogueira.

UEMS disponibiliza vagas para transferência interna e externa
A UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), divulgou aproximandamente 2 mil vagas para 54 cursos nas 15 unidades da instituição que serão p...
Prazo de inscrição em qualificação profissional do IFMS termina na quarta
Termina amanhã (22) o prazo para os interessados se inscreverem no processo seletivo para ingresso nos cursos de FIC (Formação Inicial e Continuada e...
TCE lança seleção para estagiários com remuneração de R$ 900
O TCE/MS (Tribunal de Contas) lançou processo seletivo para estagiários. As inscrições vão de 6 a 20 de março. São oferecidas 44 vagas, além de cadas...
Seleção de médicos residentes do HR termina na próxima sexta-feira
O HR (Hospital Regional) de Campo Grande termina nesta semana as inscrições para o processo seletivo para escolher seis pessoas para ocupar as vagas ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions