A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

05/06/2012 16:51

Advogado de médica indiciada por morte de universitária contesta laudo

Nicholas Vasconcelos

Defesa afirma que causa da morte foi choque séptico e não anafilático

Letícia foi atendida quatro vezes no hospital de Bonito. (Foto: Divulgação)Letícia foi atendida quatro vezes no hospital de Bonito. (Foto: Divulgação)

O advogado da médica infectologista Caroline Franciscato, de 31 anos, denunciada pelo erro médico que causou morte da acadêmica de odontologia Letícia Gottardi, de 19 anos, disse que pediu para que o laudo da morte seja refeito. Leopoldo da Silva Lopes afirmou que a causa da morte teria sido choque séptico e não um choque anafilático, provocado pela reação alérgica ao medicamento dipirona.

De acordo com Leopoldo, o novo pedido de laudo foi feito ao CRM-MS (Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso do Sul) que deve solicitar para que seja revista a causa da morte da universitária. Segundo ele, a morte teria sido causada por conta da apendicite que levou Letícia até o hospital João Darci Bigaton, em Bonito, distante 257 quilômetros de Campo Grande.

Para a defesa outro ponto que precisa ser revisto é a anotação da alergia a dipirona. “Existe a dúvida se a ressalva foi anotada antes ou depois do início dos sintomas e também do local onde ela foi feita. A anotação foi feita no verso do documento, se fosse no local correto a médica teria visto”, afirmou Leopoldo.

O pedido para que o laudo seja revisto já foi encaminhado ao Conselho, mas ainda não tem prazo para que o trâmite seja concluído.

O CRM-MS abriu sindicância para apurar o suposto erro médico, que depois de concluído poderá servir de base para que seja aberto um processo ético. Só a partir da conclusão das investigações é que Caroline poderá ou não ter o registro médico cassado.

Segundo o CRM, a sindicância e o processo ético devem levar de dois a quatro anos para serem concluídos.

A infectologista foi indiciada na última sexta-feira (1°) por homicídio doloso, por dolo eventual, quando a pessoa assume o risco de matar e vai responder ao inquérito em liberdade.

Letícia Gottardi Côrrea morreu no dia 7 de abril, após quatro idas ao hospital. No prontuário da paciente constava que a jovem era alérgica à dipirona.

Documentos comprovam que a médica ordenou que fossem aplicadas duas injeções do medicamento, o que provocou a morte por choque anafilático.




Então quer dizer que ela morreu de apendicite mesmo tendo ido várias vezes ao hospital????? Épácabá mesmo hein!!!
 
Kaio Pascal em 06/06/2012 08:30:00
Nossa, como tem perito aqui no campograndenews. Vem ca, todos voces fizeram a necropsia???? Nao neh? entao acho q nenhum de nos realmente sabe qual foi realmente a causa da morte da estudante.
 
ana maria em 06/06/2012 06:02:42
Como médico, coloco-me na condição da colega citada no caso em questão, e sei que o CRM, longe de ser uma instituição corporativista, irá conduzir tal sindicância com prudência e lisura. Infelizmente, a medicina como um todo tem sido desvalorizada, e a figura do médico, nada mais é do que uma vítima do sistema de saúde público deste País.
 
Edinaldo Bandeira em 05/06/2012 11:03:08
Ainda bem que não é a sua filha, né Dr. Advogado!
 
Micheli Souza em 05/06/2012 10:27:13
O direito de defesa, como sabemos, é uma garantia constitucional para todos, mas, pelo amor de Deus, senhor Advogado, não queime seu nome com causas desse tipo ou, pelo menos, defenda seu cliente de forma a não expor a sua classe ao ridícuo.
 
Ronaldo Antunes em 05/06/2012 08:07:44
Faz-me rir né doutor advogado. Contestar uma pericia oficial para deixar a ccargo do CRM que sempre foi coorporativista???? A justiça leva em consideração a perícia oficial. A pessoa teve acesso ao documento, não lê e agora vc vem dizer que não estava escrito???? De certo ela morreu de apendicite e nós somos o coelho da páscoa. não substime a intelingencia das pessoas e da Justiça.
 
Fábio Chaves Mitidiero em 05/06/2012 05:16:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions