A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

03/10/2014 13:55

Angústia termina para parentes do Paraná, mas paraguaio ainda está desaparecido

Priscilla Peres
O que restou do barco-hotel foi retirado de dentro do rio nesta manhã. (Foto: Toninho Ruiz)O que restou do barco-hotel foi retirado de dentro do rio nesta manhã. (Foto: Toninho Ruiz)

Termina na tarde de hoje a angustia e espera dos familiares paranaenses e sobreviventes do naufrágio de um barco-hotel em Porto Murtinho - distante 431 km de Campo Grande. O corpo de Roberto Vilhana, o Tião, resgatado na quarta-feira (1°) foi enterrado nesta manhã em Alvorada do Sul e o sepultamento de Benedito Aparecido da Silva, encontrado ontem, será realizado nessa tarde em Uraí.

Veja Mais
Pistoleiro executa morador em acerto de tráfico de drogas na fronteira
Boliviana indiciada após tragédia com voo da Chape pede refúgio em MS

Dezesseis turistas do Paraná estavam a bordo do barco-hotel Sueño do Pantanal que naufragou após um tornado no dia 24 de setembro, cinco sobreviveram e os outros 11 morreram. A operação de resgate já dura dez dias e nesta manhã o que sobrou da embarcação foi retirada de dentro do rio Paraguai.

A bordo também estavam 11 tripulantes paraguaios, sendo que oito sobreviveram, dois foram encontrados mortos e o proprietário do barco-hotel, Luiz Penayo, ainda está desaparecido. A partir de agora a operação continua em ritmo lento, com a retirada da embarcação, o trabalho dos mergulhadores em busca do último corpo está ainda mais difícil.

Moradores locais e mergulhadores acreditam que Luiz esteja dentro de uma cabine de metal, no fundo do rio, pois tudo o que sobrou do barco foi arrastado para a barranca hoje. A Marinha do Brasil e do Paraguai também realiza buscas na superfície do rio, para o caso de encontrar o corpo boiando.

Resgate - Desde o início dessa semana, o Paraguai assumiu as buscas pelos corpos e durante dias, com a ajuda de mergulhadores e da população local, tentou arrastar a embarcação para próximo à margem. Por dois dias seguidos, parte do barco pode ser visto pelas pessoas que acompanhavam a operação de retirada da água, mas pouco tempo depois o cabo de aço não suportou o peso e arrebentou.

Equipes de resgate oficiais do Brasil não participam das buscas no momento, apenas acompanham, segundo o capitão da Marinha do Brasil, Alexandre Brandão. “A mobilização é feita por parte da comunidade do Paraguai, mas não é nada oficial. Nós estamos na área dando todo o suporte para caso de algum afloramento na superfície a gente recolha”.

Acidente - O barco hotel Sueño del Pantanal, de bandeira paraguaia, naufragou na tarde de quarta-feira (24), após ser atingido por um tornado. O vento de quase 100 quilômetros por hora destelhou casas, derrubou árvores e postes, prejudicou a rede de energia e tombou o barco que estava no rio Paraguai, cerca de 50 metros de atracar na margem estrangeira.

Boliviana indiciada após tragédia com voo da Chape pede refúgio em MS
A boliviana Celia Castedo Monasterio, indiciada pelo Ministério Público de seu país por ter autorizado o plano de voo da Chapecoense, com saída em Sa...
Hospital Universitário de Dourados alerta para golpe do falso médico
Falso médico estaria agindo em nome do HU-UFGD (Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados) e nesta segunda-feira entrou em co...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions