A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

18/03/2014 17:08

Aos 70 anos, Ribas aposta na 3ª fase de desenvolvimento com fábrica de celulose

Edivaldo Bitencourt
Prefeito está otimista com chegada de nova indústria (Foto: Arquvio)Prefeito está otimista com chegada de nova indústria (Foto: Arquvio)

Município com a 3ª maior extensão territorial do Estado, com 17,3 mil quilômetros quadrados, Ribas do Rio Pardo, a 103 quilômetros da Capital, completa 70 anos nesta quarta-feira (19) com a expectativa de diversificar a base econômica. Famoso como Capital do Boi, a cidade deve receber a 3ª fábrica de celulose de Mato Grosso do Sul, com investimento de R$ 8 bilhões e expectativa de produzir 2 milhões de toneladas de celulose por ano.

Veja Mais
JBS tenta impedir abertura de fábrica de celulose em Ribas do Rio Pardo
Eldorado busca apoio de fundos para dobrar produção de celulose em MS

“Estamos iniciando uma nova fase de desenvolvimento”, comenta o prefeito José Domingues Ramos, o Zé Cabelo, 55 anos, do PSDB e no terceiro mandato. Ele começa a qualificar parte dos 22,4 mil moradores para atender a demanda da indústria, que deverá empregar 8 mil operários na fase de construção e 1,7 mil após o início das operações.

A população da cidade festeja os 70 anos com expectativa de novo impulso na economia, que tem a pecuária como base. O município, segundo o prefeito, tem o 6º maior rebanho bovino do Estado.

A mudança na economia de Ribas do Rio Pardo começou nas últimas duas décadas, quando houve o plantio de floresta de pinus na região. Nos anos 90, carvoarias geraram empregos e impulsionaram o comércio na cidade. Depois, a chegada das serrarias deu novo bom econômico.

Agora, o município se prepara para a terceira fase com o início da construção da fábrica de celulose, previsto para junho deste ano. A CRPE Holding deverá investir R$ 8 bilhões no projeto e busca financiamento do BNDES (Bando Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e da Sudeco (Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste).

“Estamos preparando a cidade”, explica Zé Cabelo. Uma das obras previstas é a duplicação do perímetro urbano da BR-262, obra já aprovada pelo DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte).

Devido a grande extensão territorial, o município conta com 67 linhas de ônibus para transportar 2,2mil estudantes da zona rural. Outras oito linhas transportam universitários para a Capital todos os dias. Algumas linhas chegam a percorrer até 70 quilômetros para garantir a oferta do ensino público a todos os estudantes da zona rural.

A festa de comemoração dos 70 anos de Ribas começou no dia 1º deste mês com o Carnaval. A festa segue hoje à noite com um show e amanhã.

História – O povoamento da região começou no século XVII, quando os bandeirantes paulistas passaram pela região vindo pelo Rio Pardo em direção a Camapuã. Eles não ficavam no local porque Ribas do Rio Pardo não tinha ouro nem mão de obra barata dos índios.

Apesar de vestígios dos jesuítas e da passagem de expedições, o povoado começou a ser construído em 1900, com a chegada dos irmãos João e José dos Santos. Outros moradores chegaram de Santana do Paranaíba.

A chegada da estrada de ferro em 1914 foi um dos fatores que incrementaram a economia da região. A estação de trem foi inaugurada em 23 de julho de 1914.

Em 1918 foi criado a primeira escola do povoado. Em 7 de novembro de 1921, a vila foi elevada à categoria de Distrito de Paz. Ribas foi emancipado em 31 de dezembro de 1943.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions