A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

03/10/2014 22:05

Após 9 horas de espera, Câmara de Vereadores reabre sessão e reelege Idenor

Helio de Freitas, de Dourados
Sessão ficou suspensa por liminar de juíza douradense, mas Câmara conseguiu recurso no TJ/MS e reelegeu mesa diretora para mais dois anos (Foto: Thiago Morais)Sessão ficou suspensa por liminar de juíza douradense, mas Câmara conseguiu recurso no TJ/MS e reelegeu mesa diretora para mais dois anos (Foto: Thiago Morais)

A Câmara de Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande, reelegeu na noite desta sexta-feira o vereador Idenor Machado (DEM) para mais dois anos como presidente do Legislativo. A eleição foi realizada com 60 dias de antecedência após uma mudança no Regimento Interno da Casa.

Veja Mais
Dois homens são presos por suspeita de estupro de adolescentes
Dupla armada invade madeireira e rouba dinheiro do pagamento de funcionários

A sessão foi aberta às 9h de hoje e ficou pelo menos nove horas suspensa, até a Câmara conseguir derrubar no TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) a liminar que barrava a eleição, concedida ontem pela juíza Dileta Terezinha Souza Thomaz. O agravo de instrumento favorável a Idenor foi dado pelo desembargador Sideni Soncini Pimentel, da 5ª Câmara Cível.

A chapa única inscrita para ocupar a mesa diretora – formada ainda por Cirilo Ramão (PTC) como vice-presidente, Dirceu Longhi (PT) como primeiro secretário e Pedro Pepa (DEM) como segundo secretário – recebeu 14 votos favoráveis e dois contrários. Votaram contra a vereadora Virgínia Magrini (PP) e o Pastor Sergio Nogueira, que havia entrado com mandado de segurança para suspender a sessão.

Três vereadores estavam ausentes – Alan Guedes (DEM), Marcelo Mourão (PSD) e Maurício Lemes Soares (PSB). Maurício foi voz isolada contra a alteração da Lei Orgânica do Município que permitiu a reeleição dentro da mesma legislatura. Antes o vereador só podia concorrer de forma consecutiva ao cargo de presidente ao iniciar uma nova legislatura, como ocorreu com Idenor em 2013.

Para deferir o pedido de efeito suspensivo, o desembargador acatou os argumentos do advogado de Idenor, Sérgio Henrique Pereira Martins de Araújo, de que a antecipação da eleição estava respaldada, já que o Regimento Interno tinha sido alterado com o voto da maioria dos vereadores. Além disso, segundo Sideni Soncini Pimentel, a liminar suspendendo a sessão representa “odiosa interferência nos destinos da autonomia e independência do Poder Legislativo Municipal em questão”.

Após a votação que lhe garante mais dois anos como presidente da Câmara, Idenor afirmou que a vontade da maioria prevaleceu. Durante o dia, enquanto aguardava o recurso no TJMS, o vereador democrata criticou indiretamente a decisão de Sergio Nogueira de entrar com mandado de segurança contra a sessão, ao afirmar que o problema foi criado por “por interesses pessoais”.

Dois homens são presos por suspeita de estupro de adolescentes
Dois homens foram presos por estupro de vulnerável em Laguna Carapã, 287 km de Campo Grande. Eles têm 28 e 24 anos e teriam tido relação sexual com a...
Dupla armada invade madeireira e rouba dinheiro do pagamento de funcionários
Dois homens armados invadiram uma madeireira e roubaram R$ 15 mil por volta das 15h30 de ontem (9) no Distrito Industrial de Dourados - distante 233 ...
Homem tem carro roubado por assaltantes armados na MS- 289
Assaltantes armados renderam o condutor de um veículo modelo Vectra e roubaram o carro por volta das 23h desta sexta-feira (9) na MS-289, em Amambai ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions