A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

30/06/2012 09:53

Após morte de diretor, sindicato promove caminhada pela paz em Nova Andradina

Francisco Júnior

O Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) de Nova Andradina realiza uma "Caminhada pela Paz" nas ruas do município dois após o assassinato do do professor Delmiro Salvione Bone, diretor da Escola Municipal Marcos Freire, no distrito de Casa Verde.

Veja Mais
Europeus querem boicote à soja por genocídio indígena, diz deputado
Corpo encontrado em rio é de trabalhador que desapareceu no domingo

A caminhada terá início em frente ao Museu Municipal, localizado na avenida Antônio Joaquim de Moura Andrade.

O presidente do sindicato, Edson Granato, afirmou ao site Nova News que os trabalhadores em educação do município estão inconformados com o assassinato do professor e reivindicam mais segurança e condições dignas de trabalho.

Segundo o professor Leandro Domingues, que também é membro da direção do sindicato, falta comprometimento do poder público, pois o aluno que disparou os tiros já estava apresentando problemas, já tinha passagens na polícia e a direção da escola já tinha solicitado a remoção dele.

Para o presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação do Mato Grosso do Sul), Roberto Magno Botareli Cesar, a violência escolar tem vários motivos, entre eles os problemas sociais, alunos desmotivados, com uma visão negativa da escola, a falta de responsabilidade social, de punições individuais e políticas educacionais que não levam em consideração as realidades locais dos professores, alunos e pais.

Ontem (29), pela manhã, os trabalhadores em educação de Nova Andradina, principalmente os que conviviam no ambiente de trabalho com o professor Delmiro Salvione, fizeram um protesto em frente ao Fórum do município. (As informações são do site Nova News)




É filosofia de trabalho deste governo, comandar pela pressão sem nos dar as mínimas condições de trabalho. Jogam nas nossas mãos os problemas do ensino no Brasil e querem que a gente resolva com salas lotadas, quadro negro e giz.
Só podia acontecer isso mesmo.
Como diz Alexandre Garcia: "Não se dá prioridade à Educação para não haver reação e sim, votação."
 
Alexandre Otto em 01/07/2012 09:29:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions