A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 16 de Janeiro de 2017

30/06/2012 09:53

Após morte de diretor, sindicato promove caminhada pela paz em Nova Andradina

Francisco Júnior

O Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) de Nova Andradina realiza uma "Caminhada pela Paz" nas ruas do município dois após o assassinato do do professor Delmiro Salvione Bone, diretor da Escola Municipal Marcos Freire, no distrito de Casa Verde.

Veja Mais
Mesmo com ordem de despejo, índios ampliam invasões em lotes urbanos
Cidade de MS teve 157 focos de queimadas em duas semanas do ano

A caminhada terá início em frente ao Museu Municipal, localizado na avenida Antônio Joaquim de Moura Andrade.

O presidente do sindicato, Edson Granato, afirmou ao site Nova News que os trabalhadores em educação do município estão inconformados com o assassinato do professor e reivindicam mais segurança e condições dignas de trabalho.

Segundo o professor Leandro Domingues, que também é membro da direção do sindicato, falta comprometimento do poder público, pois o aluno que disparou os tiros já estava apresentando problemas, já tinha passagens na polícia e a direção da escola já tinha solicitado a remoção dele.

Para o presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação do Mato Grosso do Sul), Roberto Magno Botareli Cesar, a violência escolar tem vários motivos, entre eles os problemas sociais, alunos desmotivados, com uma visão negativa da escola, a falta de responsabilidade social, de punições individuais e políticas educacionais que não levam em consideração as realidades locais dos professores, alunos e pais.

Ontem (29), pela manhã, os trabalhadores em educação de Nova Andradina, principalmente os que conviviam no ambiente de trabalho com o professor Delmiro Salvione, fizeram um protesto em frente ao Fórum do município. (As informações são do site Nova News)




É filosofia de trabalho deste governo, comandar pela pressão sem nos dar as mínimas condições de trabalho. Jogam nas nossas mãos os problemas do ensino no Brasil e querem que a gente resolva com salas lotadas, quadro negro e giz.
Só podia acontecer isso mesmo.
Como diz Alexandre Garcia: "Não se dá prioridade à Educação para não haver reação e sim, votação."
 
Alexandre Otto em 01/07/2012 09:29:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions