A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

02/02/2013 16:14

Associação denuncia desvio de recurso do Hospital do Câncer de Dourados

Paula Vitorino
Presidente da Associação protocolou denúncia no MPE ontem. (Foto: Dourados Agora)Presidente da Associação protocolou denúncia no MPE ontem. (Foto: Dourados Agora)

A Associação de Combate ao Câncer da Grande Dourados (ACCGD) protocolou no Ministério Público Estadual (MPE) denúncia de desvio de recursos do Ministério da Saúde, que deveriam ser repassados ao setor de Oncologia do Hospital do Câncer de Dourados.

Veja Mais
Fiems pede que governo mantenha contratos de incentivos fiscais
Reinaldo chega a Dourados para lançamento e entregas de obras

A presidente da Associação, Virgínia Magrini, entregou documentos da Secretaria Municipal de Saúde, que segundo ela, comprovam o repasse de dinheiro do Ministério da Saúde ao Fundo Municipal de Saúde (gerido pela Prefeitura), que por sua vez, fez o repasse ao Hospital Evangélico, para que este pagasse o setor de Oncologia do Hospital do Câncer de Dourados pelos procedimentos realizados.

Virginia afirma que “a Superintendência do Hospital Evangélico teria autorizado o desconto de altos valores para pagamento de empréstimo junto a bancos diversos”.

Esses recursos, que seriam mais de R$ 1 milhão, deveriam ser repassados aos serviços de Oncologia, Nefrologia e Cardiologia. Todos esses setores estariam sofrendo consequências por falta desses recursos, segundo ela.

O setor de oncologia anunciou nessa semana que não iria mais atender pacientes novos a partir de segunda-feira (4).

O diretor do Setor de Oncologia, Mário Eduardo Rocha, disse que a Associação Beneficente Douradense, mantenedora do Hospital Evangélico, teria deixado de repassar os meses de outubro e novembro, perfazendo um total de R$ 669.697,60 mil, que impossibilita o pagamento das dívidas de custeio do Hospital do Câncer, tais como medicamentos, insumos, pagamento dos médicos e funcionários. Por isso, a decisão foi interromper novos atendimentos e apenas manter os pacientes que já estão em tratamento.

Na semana passada a Associação Beneficente Douradense teria repassado um total de R$ 540 mil, referentes os meses de setembro e parte de outubro, que foram utilizados para quitar as dívidas atrasadas.

“Ganhamos um fôlego a mais, porém agora o caixa está zerado e temos novas dívidas para pagar na próxima semana que chega a R$ 205 mil”, revelou o diretor, lembrando que só a folha de pagamento com os médicos, que está atrasada chega a R$ 81 mil. “E não podemos pagar”, avaliou ele.

O médico Mário Eduardo informou que ontem mesmo começaria notificar as autoridades municipais e estaduais sobre a decisão de restrição nos atendimentos que começam no início da próxima semana. O Hospital do Câncer realiza mensalmente, em média, mil consultas e cerca de 600 fazem tratamento com quimioterapia e radioterapia.

O Hospital do Câncer de Dourados é referência para 34 municípios que fazem parte da macrorregião de Dourados. Caso deixe de atender os novos pacientes, estes terão que buscar tratamento em Campo Grande, Três Lagoas, Corumbá, ou em grandes centros como Barretos.

Virginia Magrini garantiu que se depender da ACCGD, os novos pacientes não deixarão de ser atendidos no Hospital do Câncer de Dourados, lembrando que o local foi construído com ajuda da população. “Foram oito anos arrecadando fundos junto à população de mais de 33 cidades do Estado para tal fim, estando hoje a obra com a parte física totalmente concluída, sendo que 2/3 de uma estrutura total se encontra em pleno funcionamento, faltando poucos equipamentos para o funcionamento total”, destacou ela. (Com informações do site Dourados Agora)




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions