A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

12/08/2015 10:34

Bancários lançam campanha salarial e retardam abertura de três agências

Helio de Freitas, de Dourados
Bancários retardaram e meia hora a abertura das agências do Bradesco em Dourados nesta quarta (Foto: Divulgação)Bancários retardaram e meia hora a abertura das agências do Bradesco em Dourados nesta quarta (Foto: Divulgação)

Os bancários lançaram nesta quarta-feira (12) em Dourados, a 233 km de Campo Grande, a campanha salarial deste ano. Ato organizado pelo Sindicato dos Bancários e Trabalhadores no Ramo Financeiro de Dourados e Região retardou em meia hora a abertura de três agências do Bradesco, localizadas na Avenida Joaquim Teixeira Alves, no Centro.

Veja Mais
Protesto de bancários fecha maior agência do Bradesco na cidade
Greve dos bancários fecha 80 agências em MS, mas pode acabar amanhã

Joacir Rodrigues, diretor de imprensa do sindicato, informou ao Campo Grande News que de agora em diante serão feitos movimentos semelhantes nas agências de outros bancos, mas ainda sem data definida.

O comando nacional da categoria entregou ontem a pauta geral de reivindicações à Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) e as pautas específicas ao Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. Conforme o sindicato douradense, a primeira rodada de negociações com a federação dos bancos foi agendada para o dia 19 de agosto. O primeiro tema a ser discutido será o emprego.

“As demandas são muitas. Faltam estrutura, segurança e funcionário para prestar atendimento de qualidade. Com número reduzido de pessoal, a sobrecarga é grande e os problemas de saúde crescem. Milhares de bancários são afastados todos os anos por conta da pressão”, afirma o sindicato, em nota.

“Os bancos formam o setor mais forte e lucrativo da economia nacional, em contrapartida fecharam o primeiro semestre deste ano com menos 2.795 postos de trabalho, além disso, trocam constantemente de funcionários com maior salário por outros com menor rendimento – a diferença da remuneração é de 58% entre demitidos e novos contratados”, afirmou o presidente do sindicato, Janes Estigarribia.

Segundo o sindicalista, os clientes também não escapam. “As taxas de juros são altíssimas, têm ainda as tarifas por serviços que muitas vezes os correntistas nem sabem que pagam. Sem falar nas vezes que são barrados na porta das unidades e empurrados para os correspondentes, sem um mínimo de conforto e nada de segurança”.

Lucros – De acordo com o sindicato dos bancários, o reflexo de “tanta exploração” está nos balanços das instituições: Itaú, Bradesco e Santander lucraram, juntos, R$ 25,931 bilhões no primeiro semestre de 2015. O valor supera em R$ 6,592 bilhões o montante do mesmo período do ano passado, segundo o sindicato.

“É importante que a população e bancários se unam em defesa de seus direitos. Contamos com a ajuda e compreensão de toda a sociedade”, pede a entidade dos bancários em nota encaminhada aos meios de comunicação.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions