A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

04/07/2015 18:26

Carro atropela, mata índio, capota e causa protesto de acampados em BR

Cerca de 30 índios chegaram a bloquear trecho da BR-463 em protesto

Thiago de Souza e Michel Faustino
A suspeita é de que índio tenha se distraído ao atravessar a rodovia e não viu a aproximação do veículo que acabou o atingindo. (Foto: Laércio Barros)A suspeita é de que índio tenha se distraído ao atravessar a rodovia e não viu a aproximação do veículo que acabou o atingindo. (Foto: Laércio Barros)
Após atropelar indígena, o motorista perdeu o controle do veículo que saiu fora da pista. (Foto: Laércio Barros)Após atropelar indígena, o motorista perdeu o controle do veículo que saiu fora da pista. (Foto: Laércio Barros)

Um indígena, que até o momento não teve a identidade divulgada, foi atropelado e morreu na tarde de hoje (04) enquanto  se dirigia para um acampamento que fica às margens da rodovia BR-463, próximo a Dourados, município localizado a 233 quilômetros da Capital.

Veja Mais
Homem é baleado após agredir suspeito envolvido em acidente
Mulher é morta a facadas e corpo é encontrado por parentes em sofá da sala

Segundo a PRF (Policia Rodoviária Federal), as causas do acidente ainda estão sendo apuradas, mas a suspeita é de que o indígena tenha se distraído ao atravessar a pista, momento em que acabou sendo atingido pelo veículo, GM Celta, de cor preta, que seguia no sentido Ponta Porã. Conforme as informações, ele estava em uma bicicleta e não teria visto o veículo se aproximar.

Após atropelar o índio, o motorista perdeu o controle do veículo, que seguiu em direção ao acostamento e tombou. Conforme apurado pelo Campo Grande News, o motorista abandou o veículo no local e fugiu com medo de represálias.

Pouco tempo depois, um grupo de cerca de 30 índios bloqueou os dois sentidos da BR-463 em razão do atropelamento de um índio. Os indígenas cobraram a presença da pericia que chegou no local cerca de duas horas depois do acidente.

Representantes da Funai (Fundação Nacional do Índio) foram até o local para acompanhar a situação. Peritos criminais da Polícia Civil de Ponta Porã e agentes da PRF também acompanham o caso.

 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions