A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

02/06/2015 15:38

Com mais médicos, hospital reduz para 30 minutos espera por atendimento

Diretora diz que número de atendimentos chega a cinco mil/mês porque muitos pacientes deixam de procurar postos de saúde

Helio de Freitas, de Dourados
Hospital municipal de Naviraí contratou mais médicos e técnicos e conseguiu reduzir espera por atendimento (Foto: Divulgação)Hospital municipal de Naviraí contratou mais médicos e técnicos e conseguiu reduzir espera por atendimento (Foto: Divulgação)

Localizada a 366 km de Campo Grande, a cidade de Naviraí conseguiu reduzir meia hora em média o tempo de espera por atendimento no hospital municipal. De acordo com a Gerência de Saúde da prefeitura, antes a espera era de pelo menos duas horas.

Veja Mais
Prefeitura encaminha Plano Municipal de Educação à Câmara de Vereadores
Sete pessoas morreram em quatro acidentes ontem em rodovias de MS

A redução, de acordo com a assessoria da prefeitura, é resultado dos investimentos feitos no hospital. A ampliação incluiu a construção de um novo pronto socorro, feito com recursos viabilizados pelo deputado federal Geraldo Resende (PMDB), aumento do quadro de profissionais e instalação de mais equipamentos e serviços.

De acordo com o prefeito Léo Matos (sem partido), foram contratados oito técnicos de enfermagem e dois médicos para o pronto socorro. “Além disso, abrimos processo seletivo para dois técnicos em raio-X e nove técnicos de enfermagem que assumirão ainda nesta semana”.

Cinco mil por mêsA diretora do hospital, Claudia Gomes Pereira, disse que a unidade recebe em média 200 pacientes por dia e faz mais de cinco mil atendimentos mensais. Segundo ela, muitos pacientes procuram o hospital para tratar até mesmo uma simples dor de cabeça.

“Este é um dos grandes problemas que enfrentamos. As pessoas têm que entender que o hospital é para urgência e emergência. Para consultas existem as unidades de saúde e os PSFs, que estão todos equipados e com médicos”, afirmou a diretora.

Claudia Pereira afirma que é preciso mudar o hábito dos pacientes, que deixam de procurar as unidades de saúde para fazer tratamento preventivo. “Quando a dor aumenta procura o hospital, mas poderia ter evitado. Se conseguirmos mudar esse hábito, reduziremos a quantidade de procedimentos pela metade e com isso o atendimento ficará mais ágil”.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions