A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

20/01/2011 13:05

Delegado diz que falta de pessoal dificulta trabalho na Cadeia Pública de Coxim

Ana Maria Assis

O titular da 1ª DP (Delegacia de Polícia) de Coxim e diretor da cadeia pública do município, Bruno Henrique Urban, afirmou que a rebelião que poderia ter acontecido na manhã de hoje (20) só foi impedida devido a ação conjunta da Polícia Civil, Militar e agentes penitenciários, pois, na cadeia “falta pessoal”. Segundo o delegado, a Cadeia Pública de Coxim conta com apenas dois policiais, sendo que um está de férias. Além disso, ele destaca que o prédio da delegacia é “separado” do prédio da cadeia, o que soma ainda o deslocamento de reforços quando há alguma ocorrência.

Urban conta que a PM foi acionada após um dos funcionários da cadeia ligar avisando que havia uma movimentação no pátio. Ao chegar ao local, os policiais controlaram os presos que estavam discutindo e fizeram um “pente fino”, onde foram encontrados dois celulares, além de uma quantidade de drogas ainda não contabilizada, entre maconha e “grandes porções” de pasta base, conforme o delegado.

A discussão dos presos começou na volta do banho de sol. “Um deles convencia os outros a insultar os presos da cela 4, que estão ali por crimes como estupro, ameaça de morte, crimes hediondos”, disse Urban. Segundo ele, os detentos chegaram a pegar pedaços de madeira para atacar os outros presos.

Segundo o delegado, diversas transferências para Campo Grande estão sendo feitas, mas a cadeia ainda está com número a mais do que o seu limite. “O policial da cadeia tem que cuidar de toda parte administrativa, ser carcereiro, investigador,e cuidar de tudo, entrada e saída presos, o que dificulta a rotina de revistas também”, desabafou o delegado.

Ele afirmou que desde 2009 não acontece nenhuma rebelião e que depois da confusão de hoje a polícia vai apurar como a droga entrou na cadeia. “Já identificamos os dois presos que estavam provocando a discussão. Serão tomadas as medidas de punição pela indisciplina”.

Marido agride esposa e se esconde da polícia na casa do pai
Após agredir a esposa, Gilmar Sousa, de 37 anos, se escondeu na casa do pai no assentamento Itamarati, em Ponta Porã – a 323 km de Campo Grande. Conf...
Homem é encontrado morto com marcas de tiro em calçada de casa
Um homem não identificado foi encontrado morto na madrugada deste domingo (11) em Dourados – a 233 km de Campo Grande. Conforme o Boletim de Ocorrênc...
Motorista embriagado atropela ciclista e foge sem prestar socorro
Guinovaldo Aguiar Gama, de 53 anos, foi preso em flagrante depois de ter atropelado um ciclista na região central de Itaporã, 227 quilômetros de Camp...
Rapaz foge de policial a paisana e abandona mochila com 18 kg de droga
Homem fugiu deixando uma mochila com 18 quilos de maconha, depois de ser abordado esta manhã (10) por um policial a paisana na rodoviária de Ponta Po...



É assim mesmo em toda cidade que tem cadeia pública em delegacia, até quando isso? Cuidar de preso não é atribuição de policial civil, mas fica barato manter do jeito que tá, nem que o serviço do policial fique atrasado, pela metade, sem tempo para o bom atendimento ao público, porque o preso é prioridade, tem que receber alimentação na hora certa, três vezes ao dia, visita de advogado/família, escolta ao médico/dentista se necessário, banho de sol e transferências, isso sem nenhum adicional, se bem que eu passaria, Se me perguntassem: 100% a mais com preso ou do jeito que tá, sem preso, com certeza eu ficaria com o salário normal e sem preso algum pra cuidar. Ouço dizer que alguns delegados recebem adicional por direção de presídio, prefiro não acreditar, até porque não são eles que cuidam de preso, sobra só para o tira...
 
Claudio Arantes - CG/Amambai em 20/01/2011 11:54:23
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions