A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 22 de Fevereiro de 2017

18/12/2014 11:41

Demora em atendimento na Receita deixa caminhões parados por até 5 dias

Viviane Oliveira
Tem dia que cerca de 150 caminhões chegam a ficar na fila esperando atendimento na Receita Federal. (Foto: César Galeano) Tem dia que cerca de 150 caminhões chegam a ficar na fila esperando atendimento na Receita Federal. (Foto: César Galeano)

Centenas de caminhoneiros ficam parados por até 5 dias esperando a liberação da carga na Receita Federal, em Mundo Novo, na divisa com o Paraguai, distante 476 quilômetros de Campo Grande. Diariamente dezenas de caminhões entram e saem do Brasil, no entanto, nos últimos dias a demanda na fiscalização aumentou devido a paralisação no Porto Santa Helena, no Paraná.

Os motoristas que ficam até uma semana parados para seguir viagem reclamam da demora e da precariedade da Receita Federal. O pátio destinado a estacionamento está lotado e alguns caminhoneiros acabam parando as carretas às margens da BR-163.

Na última terça-feira (16), os caminhoneiros que aguardavam a liberação para seguir viagem, fizeram uma manifestação em frente a Inspetoria da Receita pedindo agilidade no despacho. Tem dia que cerca de 150 caminhões chegam a ficar na fila esperando atendimento.

O inspetor chefe da Receita Federal do município, Clóvis Ribeiro Cintra Neto, em entrevista ao site de notícias de Mundo Novo, atribuiu o problema a falta de funcionários, as obras da nova aduana que passa por reforma e ao porto de Santa Helena, que está sem navegabilidade.

Segundo Clóvis, dez novos servidores foram admitidos, porém o número ainda fica abaixo das necessidades. Ele disse ainda que o comércio exterior aumentou muito neste fim de ano e como o rio Paraná está sem navegabilidade, os carreteiros utilizavam o posto fronteiriço de Mundo Novo, congestionando e agravando o despacho. Vários documentos, como do veículo e da carga, são necessários para que o serviço seja agilizado. 

Conforme um dos proprietários da KM transportes, Otávio Luiz Rodrigues, as leis precisam ser mudadas para facilitar o transporte de cargas. “O custo sempre estoura na transportadora. Além das leis, as tecnologias precisam ser usadas para facilitar tanto a exportação quanto a importação”, diz. Colaborou o jornalista César Galeano, de Mundo Novo.

Dupla chega armada em ginásio, ordena que todos deitem no chão e atira em homem
Alex Sandro Ramires, 28, foi atingido por tiro disparado por homens que chegaram armados com pistola em uma quadra de esportes. O crime aconteceu às ...
Prefeitura perde na Justiça e terá que pagar retroativos a professores
Em decisão tomada por unanimidade pelos desembargadores da 1ª Câmara Cível do TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), a prefeitura de Ivin...
Após relato sobre caça e extração ilegal de madeira, PMA apreende arma
Após receber denúncias de extração ilegal de madeira e caça ilegal sendo praticadas em Ivinhema - município localizado a 282 km de Campo Grande -, um...



O Brasil no quesito incentivo em exportações e aumento de produção é uma lastima.
 
wild em 18/12/2014 12:57:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions