A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

19/01/2015 11:35

Deputado ignora polêmica sobre cota e é o novo calouro de direito da UFGD

Helio de Freitas, de Dourados
Ficha de matrícula de Geraldo Resende no curso de direito de universidade pública; de férias, ele foi representado por procuradora (Foto: Douranews)Ficha de matrícula de Geraldo Resende no curso de direito de universidade pública; de férias, ele foi representado por procuradora (Foto: Douranews)

O deputado federal Geraldo Resende (PMDB) vai mesmo estudar direito na UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados). Apesar de toda a polêmica criada em dezembro de 2014 por ele ter utilizado o sistema de cotas destinado a quem cursou o ensino médio em escola pública, o parlamentar sul-mato-grossense confirmou a matrícula.

Veja Mais
Deputado entra em Curso de Direito graças ao sistema de cotas e cria polêmica
Condutor abandona veículo carregado com 800 kg de maconha na BR-163

De férias, Geraldo Resende foi representado por uma procuradora, que apresentou os documentos exigidos e fez a inscrição dele no curso da Faculdade de Direito, que funciona na sede da instituição em Dourados, a 233 km de Campo Grande. O prazo para confirmação da matrícula da primeira chamada terminou no dia 9 deste mês.

Favorecido no vestibular, já que a cota social garante mais chances ao candidato que cursou o ensino médio na rede pública, o deputado agora é calouro no segundo curso mais concorrido da UFGD, que teve 1.236 candidatos inscritos para as 27 vagas abertas para este ano– concorrência de 45,78 por vaga. O mais concorrido é o curso de medicina – 94,08 candidatos por vaga.

Médico formado no Ceará na década de 80, o deputado, de 59 anos, comentou sobre a polêmica na época em que sua aprovação no vestibular virou notícia. “Mais uma vitória que atribuo à sólida formação que obtive por ter sido aluno da Escola Estadual Presidente Vargas, onde cursei os atuais ensino fundamental e médio. Nunca é tarde para adquirir novos conhecimentos e conquistar novos horizontes”.

Segundo ele, qualquer cidadão brasileiro tem o direito de se inscrever no vestibular por meio do sistema de cotas. “Não entendo essa polêmica, já que a cota é para todos que estejam dentro dos critérios. Se estão criando polêmica talvez sejam pessoas que não conhecem minha história e que querem arrumar qualquer motivo para criticar político”, disse Geraldo, no dia 24 de dezembro.

Sidrolândia comemora aniversário com 'balada cristã' e jogos do Operário
Sidrolândia - cidade localizada a 71 km de Campo Grande - completa no domingo (11) 63 anos de emancipação e vai receber várias atrações para comemora...
Mesmo algemada, mulher usa isqueiro e coloca fogo em viatura policial
Elaine Cristina da Silva de 37 anos foi presa na noite de ontem (8) em Sonora, distante 364 km de Campo Grande, por porte ilegal de arma. Porém, mesm...



Fora a questão da polêmica de ele ter entrado pela cota, gostaria de saber como é que ele vai assistir às aulas na UFGD se ele tem que trabalhar na Câmara dos Deputados em Brasília. Será que vão dar um jeitinho para ele?
 
Marcos em 01/03/2015 01:03:23
Creio que a polêmica maior não seja por conta disso e sim porque o "nobre deputado" votou favorável à (PLN 36) Lei que autorizou a presidanta a estuprar a Lei de Responsabilidade Fiscal, e com isso embolsou R$ 700k.

Lastimável. Esse não me represente.
 
Rodney em 20/01/2015 08:32:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions