A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

16/02/2015 11:03

Destruída por chuva recorde, cidade pode pedir ajuda do Governo Federal

Viviane Oliveira
Carro foi levado pela enxurrada na Estrada do Pesqueiro Campestre. (Foto: WhatsApp/Jornal da Nova)Carro foi levado pela enxurrada na Estrada do Pesqueiro Campestre. (Foto: WhatsApp/Jornal da Nova)
Parte do asfalto na rodovia, entre a MS-134 e MS-276, foi arrancando com a chuva. (Foto: Nova Notícias) Parte do asfalto na rodovia, entre a MS-134 e MS-276, foi arrancando com a chuva. (Foto: Nova Notícias)

Destruída por chuva recorde de 210 milímetros em apenas quatro dias, Nova Andradina, a 300 quilômetros de Campo Grande, pode decretar situação de emergência. O titular da Semusp (Secretaria Municipal de Serviços Públicos), Umberto Canesque, está percorrendo a cidade para contabilizar os prejuízos causados pelo temporal dos últimos dias.

Veja Mais
Chuva de 90 milímetros em 4 horas causa estragos e transtornos a população
Chuva de 100mm durante a madruga faz transbordar Lagoa do Sapo

Conforme o secretário, houve erosões em várias partes da cidade, prejudicando as ruas não pavimentadas. O asfalto e toda tubulação do anel viário na rodovia, entre a MS-134 e MS-276, foram levados pela força da água. A obra no local, que ainda não havia sido totalmente finalizada, é de responsabilidade do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

Na região do pesqueiro, os moradores estão ilhados, carros foram cobertos pela água da chuva e em outra parte da cidade famílias foram desabrigadas. “O prefeito colocou várias secretarias em alerta para atender a população e pelo menos tentar minimizar os transtornos causados pela chuva”, pontua o Umberto.

Conforme o secretário, equipes estão nas ruas filmando e tirando fotos. O prefeito da cidade, Roberto Hashioka Soler (PMDB), vai decidir até o final da tarde o que pode ser feito junto ao Governo Estadual e Federal. “O prejuízo é grande, mas ainda não temos o valor que precisamos para reparar os estragos causados pela chuva”, lamenta. A chuva deve continuar nesta segunda-feira na cidade, de acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). 

Estragos - Ontem, um veículo Fiat Uno, que estava quebrado na estrada que dá acesso ao Pesqueiro Campestre, foi arrastado pela enxurrada e caiu em um buraco.

Os moradores da Rua Antônio Duarte, no Bairro Horto Florestal, tiveram que deixar as casas por causa de um cratera que tomou conta de parte da via. Alguns moradores do Bairro Centro Educacional estão com dificuldades de fazer ligação.

Uma luminária caiu no prolongamento da Avenida Antônio Joaquim de Moura Andrade, onde há um aterro e galeria de água pluvial, que passa por debaixo da pista. No local, a terra do aterro cedeu com a enxurrada e foi parar nas ruas da Cohab III.

Erosão tomou conta de parte da Rua Antônio Duarte, no bairro Horto Florestal. (Foto: WhatsApp/Jornal da Nova)Erosão tomou conta de parte da Rua Antônio Duarte, no bairro Horto Florestal. (Foto: WhatsApp/Jornal da Nova)

Os moradores que residem próximo a um ferro velho estão revoltados. Eles reclamam que foi aberto um buraco no muro do estabelecimento para fazer saída de água, com isso restos de graxa, pedaços de ferros vão parar nas ruas do bairro e das residências, causando transtorno.

A chuva forte ainda atingiu várias regiões de Nova Andradina, de acordo com o Jornal da Nova. O Corpo de Bombeiros alerta para o motorista tomar cuidado ao transitar nas vias que estão lisas por causa do barro e com vários buracos. 

Ao lado do município, a Lagoa do Sapo, em Batayporã, transbordou e as casas da região foram alagadas. 

Chuvas - As chuvas também não deram trégua no fim de semana nos municípios de Ivinhema e Angélica, a 270 quilômetros de Campo Grande. Ruas ficaram alagadas, surgiram novos buracos no asfalto e até postes de iluminação tombaram.

Na Avenida Firmino Alves de Souza, ao lado da delegacia de Polícia Civil de Ivinhema, a enxurrada causou estragos, segundo o jornal Ivi Notícias. Na Avenida Brasil, no bairro Vitória, postes permaneceram tombados até a manhã de domingo (15).

Esses foram os mesmos postes que tombaram após a chuva forte da última semana. Segundo o jornal Ivi Notícias, na manhã de domingo, uma equipe da Enersul esteve no local para resolver o problema. No Bairro Triguinã, um morador registrou o momento em que um veículo ficou atolado em uma das vias que segue para o bairro Água Azul. Em Angélica, um morador também fez fotos da enxurradas e se queixou da situação. 




Os governantes vão fazendo tudo de qualquer forma e desviando dinheiro, pega dinheiro para colocar um asfalto de boa qualidade mas na hora coloca do pior e embolsa a diferença, não cuida da erosão, deixa ela ir caminhando pouco a pouco durante décadas, tudo é feito nas coxas, chega uma hora que vem uma chuva um pouco mais forte e o resultado é esse, a cidade inteira foi destruida em poucas horas, a culpa não é do prefeito atual mas de todos que vieram antes dele.
 
Max em 16/02/2015 12:27:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions