A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

07/02/2014 22:17

Envolvido em furto de gado, vereador de Rio Verde é preso pela polícia

Bruno Chaves
Vereador era investigado desde maio de 2013 (Foto: Reprodução/Facebook)Vereador era investigado desde maio de 2013 (Foto: Reprodução/Facebook)

Investigado desde maio de 2013 por receptação de gado furtado, o vereador Fábio de Oliveira Souza, 33 anos, o Fabinho Borracheiro (PRTB), foi preso nesta sexta-feira (7) pela Polícia Civil de Rio Verde do Mato Grosso – a 207 quilômetros de Campo Grande.

Veja Mais
Vereador de Rio Verde é investigado por furto de gado e some da cidade
Conhecida como 'Cidade do Peixe', Itaporã comemora 64 anos neste sábado

Conforme o Edição de Notícias, Fabinho Borracheiro foi preso na casa da sogra, que fica na região central de Rio Verde, por volta das 18h. Policiais civis cumpriram um mandado de prisão que foi expedido na tarde de hoje.

Levado para a delegacia, Fabinho deverá prestar depoimento só na segunda-feira (10). O delegado que comandou as investigações e que pediu a prisão do vereador foi Eder Oliveira Moraes, titular da Delegacia de Polícia da cidade.

O caso – Em maio de 2013, depois de seis meses de investigação, a Polícia Civil conseguiu encontrar três homens que furtavam gado de propriedades rurais de Rio Verde e Região. Os irmãos Márcio Antônio Morais, 22 anos, e Odair José Morais, 24, além de Ronaldo Ribeiro Melo, 23, foram autuados pelo crime.

Em entrevista anterior ao Campo Grande News, o delegado explicou que o aumento nos registros de roubo de gado de vários produtores da cidade levou a polícia até o início de uma investigação para encontrar os responsáveis pelos crimes.

Após algumas buscas e depoimentos de produtores, a polícia descobriu que um caminhão, uma VW Saveiro e uma motocicleta eram usados em todos os furtos. Três pessoas foram identificadas como motoristas dos veículos e confessaram a ação.

Durante o depoimento, os suspeitos afirmaram que o rebanho era furtado no período da noite. Em algumas ações os homens cortavam as cercas e em outras retiravam o gado pela própria porteira das propriedades.

Eder explicou que uma das táticas para não levantar suspeita dos donos era o furto de poucos animais. “Eles invadiam as propriedades e furtavam de duas a três cabeças de gado por vez. Muitos fazendeiros nem desconfiavam, até porque um furto em uma fazenda com cinco mil cabeças não é fácil de ser percebido”, afirmou o delegado.

Depois da identificação dos suspeitos, a polícia chegou até dois homens que compravam os animais, um deles é o vereador da cidade. Os policiais encontraram 20 cabeças de gado em uma propriedade do parlamentar em uma das buscas.

Na época em que o crime veio à tona, Fabinho Borracheiro deixou a cidade. Ele não era encontrado nem no telefone celular.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions