A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017

12/08/2013 15:27

Índios guató estão há mais de 50 dias sem água tratada em Corumbá

Elverson Cardozo
Comunidade fica a 350 quilômetros de Corumbá. (Foto: Divulgação)Comunidade fica a 350 quilômetros de Corumbá. (Foto: Divulgação)

O MPF-MS (Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul) recomendou, em caráter de urgência, que a Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena), reative o abastecimento de água potável na comunidade indígena Guató, em Corumbá. Os indígenas estão há mais de 50 dias sem o recurso porque um gerador instalado na aldeia foi danificado devido à queda na energia elétrica.

Veja Mais
Pela 3ª vez, transportador é flagrado levando carne sem nota de MS para o PR
Agricultura familiar é base de projeto social que distribui cestas de alimentos

O equipamento movimenta uma pequena estação de tratamento de água, que é bombeada diretamente do Rio Paraguai. Sem o gerador, a comunidade está fazendo uso de água não tratada.

A Sesai havia sido alertada da situação e tinha se comprometido a solucionar o problema até o dia 5 agosto, mas não cumpriu o prazo. O órgão federal, criado especificamente para tratar da saúde das populações indígenas, informou que há um aparelho novo em Campo Grande, mas não tem condições de levá-lo até a comunidade, que fica isolada.

Desta vez, caso a recomendação não seja acatada, o MPF poderá adotar medidas judiciais.

Isolados - A Comunidade Guató fica a 350 quilômetros de Corumbá; 769 de Campo Grande. A viagem de barco, da Cidade Branca até o local, dura 36 horas. Os indígenas ocupam a Ilha Ínsua, com 10.900 hectares. A área foi demarcada pela Funai (Fundação Nacional do Índio).

Os índios estão instalados às margens do Rio Paraguai. Eles ocupavam as terras hoje pertencentes aos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Após serem expulsos de seu território e terem suas aldeias substituídas por fazendas de gado nas décadas de 1940 e 1950, os guató migraram para a periferia das cidades do Pantanal.

Eles foram, então, julgados extintos. Somente em 1976, alguns indígenas guató foram encontrados em Corumbá e começaram a se organizar e lutar pelo reconhecimento de sua etnia. São considerados, hoje, os últimos dos povos indígenas canoeiros que ocuparam as terras baixas do Pantanal

(Com assessoria)




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions