A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

30/11/2016 12:24

Jovens mataram militar da Marinha com facada no pescoço para roubar carro

Crime aconteceu no último dia 19 e dois jovens e um adolescente estão envolvidos

Elci Holsback
Evaldo mostrou carro novo em rede social (Foto: Diário Corumbaense)Evaldo mostrou carro novo em rede social (Foto: Diário Corumbaense)

A Polícia Civil de Corumbá - distante 419 Km de Campo Grande apresentou na manhã de hoje (30) dois acusados de matar no último dia 19, o militar da reserva da Marinha, Evaldo Pereira, 59. Jezreel Ramalho Ramos, 18, e Ewerson Martins Campos, 20, foram indiciados por latrocínio - roubo seguido de morte e serão encaminhados ao presídio da cidade. Um adolescente de 17 anos também participou do crime e será encaminhado para a Unei (Unidade Educacional de Internação).

De acordo com o site Diário Corumbaense, os três acusados se reuniram com a intenção de roubar o carro que a vítima havia comprado a pouco tempo. Ao adquirir o veículo, Evaldo fez postagens em uma rede social, o que chamou a atenção dos jovens. No dia do crime, os envolvidos no crime desistiram de levar o carro, pois, o veículo tinha câmbio automático e nenhum deles sabia dirigir. Eles então decidiram roubar a carteira com dinheiro e outros pertences da casa do militar.

A vítima, segundo a polícia, foi morta com uma facada  do lado direito do pescoço e de acordo com o delegado responsável pelo caso, Gustavo Bueno, o caso está totalmente elucidado. “O Ewerson foi o responsável pelo golpe fatal”, explica.

O delegado contou, durante a coletiva, que um Boletim de Ocorrência de achado de coisa, registrado na Delegacia de Polícia Civil no dia seguinte ao crime foi determinante para localizar os assassinos. “Um BO aparentemente de menor importância, de achado de coisa, nos ajudou a esclarecer um latrocínio. Era o registro da perda do celular do adolescente, ocorrido após a morte de Evaldo”. Apreendido em Ladário, o garoto confessou envolvimento e os policiais chegaram aos outros dois acusados.

A investigação começou após avaliar a rotina da vítima, que tinha o hábito de encontrar Jezreel para beber. O trabalho apurou os contatos feitos pelo militar na véspera do crime. O telefone de Evaldo trazia uma última mensagem, via WhatsApp, às 23h57  de 18 de novembro. Ele foi morto na madrugada do dia 19. "O celular da vítima nos deu o roteiro do que fez, para onde foi e, no último contato por mensagem, ele havia marcado para pegar Jezreel em Ladário, que disse que levaria uns primos, mal sabia ele que estava buscando a morte”, completou o responsável pela investigação.

 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions