A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

03/07/2013 13:33

Justiça cria “força-tarefa” que permite acesso da Funai à fazenda Cambará

Elverson Cardozo
Indígenas estão refugiados do outro lado do Rio Hovy. (Foto: Divulgação MPF)Indígenas estão refugiados do outro lado do Rio Hovy. (Foto: Divulgação MPF)

Atendendo a um pedido do MPF (Ministério Público Federal), a Justiça determinou o uso de força policial, Federal e Militar, para permitir o acesso de órgãos de assistência ao indígena – Funai (Fundação Nacional do Índio) e Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena) à comunidade Pyelito Kue, na Fazenda Cambará, em Iguatemi.

Veja Mais
Dois homens são presos por suspeita de estupro de adolescentes
Dupla armada invade madeireira e rouba dinheiro do pagamento de funcionários

O acesso à comunidade, da etnia Guarani-Kaiowa, é pelo rio, com uso de barcos. Quando as condições não permitem – por conta da cheia, por exemplo -, o atendimento médico e a distribuição de alimentos são feitos à beira da entrada, mas os fazendeiros têm trancado as porteiras com cadeado.

Na decisão, a desembargadora federal Cecília Mello, do TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª região), afirmou que essa situação já se estende há pelo menos 7 meses, mesmo com duas ordem de acesso livre expedidas, em outubro de 2012 e em março de 2013.

Nas palavras dela, a atitude dos fazendeiros, “além de caracterizar desrespeito a uma decisão emanada pelo Poder Judiciário, coloca em risco todo um trabalho de harmonização das relações entre proprietários de terras e silvícolas no Estado do Mato Grosso do Sul”.

Com a nova determinação, a Polícia Federal e a Polícia Militar serão comunicadas oficialmente para que, em um trabalho conjunto com a Funai e outros órgãos envolvidos, criem um plano de acesso à comunidade. O descumprimento da decisão vai gerar multa de R$ 10 mil por dia.

Ocupação – Desde novembro de 2011, os indígenas ocupam área de 1 hectare da Fazenda Cambará. Eles se refugiaram no local, situado do outro lado do Rio Hovy, depois de ataque de pistoleiros ao acampamento montado por eles em estrada vicinal da região, em agosto do mesmo ano.

A situação dos Guarani teve destaque em todo o país quando os índios divulgaram uma carta em que se declaravam dispostos a morrer em vez de deixar as terras. Na época, a comunidade havia sido notificada do despejo pela Justiça Federal do Mato Grosso do Sul.

Dois homens são presos por suspeita de estupro de adolescentes
Dois homens foram presos por estupro de vulnerável em Laguna Carapã, 287 km de Campo Grande. Eles têm 28 e 24 anos e teriam tido relação sexual com a...
Dupla armada invade madeireira e rouba dinheiro do pagamento de funcionários
Dois homens armados invadiram uma madeireira e roubaram R$ 15 mil por volta das 15h30 de ontem (9) no Distrito Industrial de Dourados - distante 233 ...
Homem tem carro roubado por assaltantes armados na MS- 289
Assaltantes armados renderam o condutor de um veículo modelo Vectra e roubaram o carro por volta das 23h desta sexta-feira (9) na MS-289, em Amambai ...



A terra não é do Indio mas também não é do homem branco, sugiro que vivamos em paz nesta nossa ligeira passagem aqui neste mundo, pois quando morrermos não levaremos nossas fazendas dentro do caixão, ele é muito pequeno, tenham a certeza que a terra, os mares, os rios, os céus e tudo o que nele há pertencem a Deus, que com a sua sabedoria, fez nela brotar toda a erva e toda a arvore frutifera, pense nisto. A terra foi criada para toda humanidade não foi apenas para meia duzia de pessoas egoistas que se intitulam seus ligitimos donos, com certeza seus antepassados as conquistaram a peso de mortes, de assassinatos, de falcatruas, de golpes, etc. Os pecuaristas e agricultores que produzem para exportação estão focados em acumular fortunas, não preocupam com a fome e com a misérias humanas
 
Ednilson de Assis em 04/07/2013 09:49:10
índios só querem direitos " regalias" deveres não existem a eles, ordens judiciais eles mesmos não repeitam nenhuma, só querem respeitar a justiça quando ela os apoiam, quem é vocês respeitam os direitos alheios e serão respeitados, pois, na constituição diz que "todos somos iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza".
 
Leandro Goncalves em 03/07/2013 17:42:18
Para o lado dos fazenderios descumprir uma ordem judicial é crime, para o lado dos indios isto não é. Onde está a equivalencia do direito para todos.
 
diogenes domingues de moura em 03/07/2013 14:05:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions