A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

28/01/2012 15:10

Justiça dá prazo de 15 dias para índios saírem de fazenda em Rio Brilhante

Aline dos Santos

A área está em estudo pela Funai para demarcação

Grupo já foi despejado de fazenda por duas vezes. Grupo já foi despejado de fazenda por duas vezes.

A Justiça Federal de Dourados deu prazo de 15 dias para que índios guarani-caiuá desocupem a fazenda Santo Antônio da Nova Esperança, em Rio Brilhante. Ontem, o oficial de justiça e a PF (Polícia Federal) foram ao acampamento Laranjeira Nhanderu para informar sobre a decisão de reintegração de posse.

A área está em estudo pela Funai (Fundação Nacional do Índio) para demarcação. O relatório está na fase de conclusão. De acordo com Flávio Machado, do Cimi (Conselho Indigenista Missionário), será o terceiro despejo dos indígenas.

“O juiz alega que o estudo ainda não está pronto”, afirma. Os índios já ficaram acampados às margens da BR-163, mas o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) obteve reintegração de posse.

Com o despejo, o grupo foi para a área de preservação ambiental da propriedade. “Agora, eles nem podem voltar para perto da rodovia”, afirma Flávio. Na decisão, a justiça manda que a Funai providencie um novo local para os indígenas.

Conforme o representante do Cimi, o Dnit ofereceu um terreno a 1,5 quilômetro da fazenda. “Mas é um terreno bem pequeno na beira da rodovia, sem água, sem árvore”, salienta.

O acampamento tem 170 pessoas, sendo 30 idosos e muitas crianças. “Cem pessoas tem menos de 24 anos, são crianças, adolescentes e jovens”, frisa Flávio. Os índios não querem sair da terra. A área reivindicada pertence aos herdeiros do ex-deputado estadual e ex-prefeito de Dourados, José Cerveira.

Conforme a Agência Brasil, a Funai informou que assinou com o Ministério Público um termo de ajustamento para concluir a identificação da terra indígena até o fim de 2011, mas o processo foi paralisado várias vezes por determinação da Justiça. Além disso, garantiu que a procuradoria do órgão recorrerá da decisão para que os índios continuem na área.

Neste ano, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, deu parecer favorável às demarcações de terras indígenas em Mato Grosso do Sul

Lojas vão estender horário de atendimento durante o mês de dezembro
O comércio de Ponta Porã - cidade localizada a 323 km de Campo Grande - irá funcionar em horário especial neste fim de ano. Os horários e dias foram ...
Esposa é presa ao tentar entregar pão recheado com maconha para detento
A esposa de um detento de Itaquiraí, distante 410 km de Campo Grande, foi presa na tarde de ontem (7) tentando entregar um pão recheado com maconha p...



Bem...E aí? Somos um estado rumo ao desenvolvimento, custe o que custar, mesmo usando uma dinâmica ja ultrapassada queremos lidar modernamente com um problema que existe desde que o forâneo chegou por cá, nossos aós, nossos pais...Ja tentaram lidar com isso.
assim vamos evoluindo, carregando o silêncio de nosso atraso, fazendo de conta que esta tudo bem.
 
Francisco Neres em 28/01/2012 06:44:28
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions