A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

20/01/2012 08:44

Justiça decreta prisão preventiva de falsificadores de recibos médicos

Francisco Júnior

A Justiça decretou as prisões preventivas de Jailson Souza da Silva, 56 anos, e Walmil Vieira da Rosa, 53 anos, que estavam vendendo recibos médicos para abater IR (Imposto de Renda), em Coxim, cidade distante 260 quilômetros de Campo Grande.

Veja Mais
Dois homens são presos com 200 recibos médicos falsificados em Coxim
Pedestre é atropelado na calçada por veículo que disputava racha

De acordo com o delegado responsável pelo o caso, Amylcar Eduardo Romero, as prisões foram decretadas na tarde de ontem (19). Logo em seguida uma equipe da Polícia Civil foi a pousada onde os dois estavam hospedados, mas eles tinham deixado o local por volta das 12 horas.

Na manhã de ontem (19), Romero foi até Campo Grande, tentar prender os dois em seus endereços. De acordo com o delegado, Jailson fornceceu o endereço da sua ex-mulher, com quem ele não mora há seis anos.

Mesmo assim, Romero encontrou o endereço de Jailson, mas ele não foi encontrado. Rosa passou o endereço correto para a Polícia, mas também não foi encontrado em casa. Com isso, os dois são considerados foragidos da justiça. Os dois vão responder por falsificação de documentos.

O caso - A Polícia Civil descobriu um esquema de venda de recibos médicos na noite da última terça-feira (17), em Coxim. Os recibos eram usados para abater IR (Imposto deRenda). De acordo com o site Edição MS, Jailson Souza da Silva, de 56 anos, e Wamil Vieira da Rosa, de 53 anos, foram flagrados com aproximadamente 200 recibos preenchidos.

Os valores que constam nos recibos variam de R$ 1,5 mil a R$ 2,5 mil, carimbados e assinados por profissionais da saúde de diversas áreas, como médicos, dentistas, fisioterapeutas e psicólogos. Em depoimento, os dois homens afirmaram que os recibos eram falsificados e isentaram os profissionais.

Para ter acesso ao número do registro desses profissionais junto aos respectivos conselhos, os falsificadores pagavam consultas e pediam recibos, que eram utilizados como modelos. Em seguida, eles mandavam confeccionar os carimbos e falsificavam as assinaturas desses profissionais. Em Coxim, os recibos estavam sendo oferecidos, principalmente, para bancários e professores.

A polícia efetuou buscas em dois quartos de uma pousada na rua João Pessoa, no centro da cidade, onde eles estavam hospedados. Nos quartos foram encontrados grande quantidade de recibos preenchidos e vários blocos em branco.

No carro usado pelos falsificadores, um Fiat Pálio, com placas de Campo Grande, foram encontrados mais recibos. Parte desses recibos somou cerca de R$ 200 mil, cuja venda renderia R$ 14 mil a eles. Jailson Souza da Silva tem passagens na Polícia por falsificação de documentos.

Nesta quarta-feira (18), o delegado Amylcar Eduardo Romero irá ouvir testemunhas do caso.

Pedestre é atropelado na calçada por veículo que disputava racha
Homem de 26 anos sofreu fratura no crânio e várias escoriações após ser atropelado quando transitava por volta das 3h30 de hoje (10) por uma calçada ...
Carreta da Justiça realiza 368 atendimentos na terceira etapa do projeto
Em oito dias de atendimentos da Carreta da Justiça em Taquarussu - município localizado a 332 km de Campo Grande -, o projeto do TJ-MS (Tribunal de J...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions