A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

01/07/2014 12:50

Justiça multa sorveteria que forneceu cerveja para menor de idade

Bruno Chaves

O proprietário da Sorveteria Flanita, que fica na Rua Pedro Celestino, em Camapuã, a 133 quilômetros de Campo Grande, foi multado pela Justiça em seis salários mínimos porque o estabelecimento comercial forneceu cerveja para um menor de idade. O fato ocorreu no dia 20 de novembro de 2012. O empresário Keni Moreira Fernandes recorreu da decisão em primeiro grau, mas julgamento da 2ª Câmara Cível do município não aceitou. A decisão foi divulgada hoje (1º) pelo TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul).

Veja Mais
Motorista embriagado atropela ciclista e foge sem prestar socorro
Rapaz foge de policial a paisana e abandona mochila com 18 kg de droga

A denúncia do Ministério Público afirmava que o menor, na companhia de dois amigos maiores de idade, foi surpreendido por conselheiros tutelares enquanto consumia bebida alcoólica dentro do comércio. No processo, Keni alegou que não forneceu diretamente a bebida a ele, tendo sido uma funcionária que, confundida pela aparência do garoto, vendeu a cerveja.

Na decisão de primeiro grau, o dono da sorveteria recebeu a pena de multa no valor de seis salários mínimos. Inconformado com a decisão, ele recorreu e dizendo que não haveria provas nos autos de que o menor consumiu álcool, além de dizer que a funcionária cometeu um erro. Ele ainda afirmou que os jovens maiores de idade, que acompanhavam o adolescente, não foram condenados e que os pais ou os responsáveis do garoto é que deveriam ser penalizados por descumprirem o dever de zelo e guarda do menor.

Entretanto, uma decisão monocrática da 2ª Câmara Cível de Camapuã negou prosseguimento ao recurso. Conforme decisão do relator, desembargador Marcos José de Brito Rodrigues, “mesmo sendo oportunizada a oitiva de testemunhas e o depoimento pessoal do comerciante, ele não conseguiu comprovar sua inocência no caso, ficando ainda comprovado nos autos que a funcionária do comércio tinha plena ciência de que o garoto era menor de idade, pois conhecia sua mãe”.

“Cumpre ressaltar que tal condenação não diz respeito à venda ou a fornecimento de bebida alcoólica a menores de idade e, sim, na permissão de adolescentes em locais que, nas circunstâncias discutidas nos autos, seriam, nos termos da Lei, inapropriados para aqueles. Desta feita, é perfeitamente admissível a incidência da penalidade estabelecida no art. 2.581, do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)”, ponderou o desembargador.

Motorista embriagado atropela ciclista e foge sem prestar socorro
Guinovaldo Aguiar Gama, de 53 anos, foi preso em flagrante depois de ter atropelado um ciclista na região central de Itaporã, 227 quilômetros de Camp...
Rapaz foge de policial a paisana e abandona mochila com 18 kg de droga
Homem fugiu deixando uma mochila com 18 quilos de maconha, depois de ser abordado esta manhã (10) por um policial a paisana na rodoviária de Ponta Po...
Marido agride mulher e tenta se enforcar em seguida, mas vai preso
Depois de agredir a esposa, de 45 anos, homem de 26, tentou se enforcar, mas acabou preso, esta noite (10) em Vicentina, a 255 quilômetros de Campo G...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions