A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

21/11/2014 12:00

MPE denuncia secretário de saúde por omitir informação

Viviane Oliveira

Os promotores de Justiça, Etéocles Brito Mendonça Dias Júnior e Luiz Eduardo Sant'Anna Pinheiro, denunciaram ao juiz da 2ª Vara Criminal da Comarca de Abambai, o secretário de Saúde de Coronel Sapucaia, Eleonor de Jesus Ximenes, em omitir por duas vezes informações solicitadas pela 2ª Promotoria de Justiça.

Veja Mais
Pistoleiro executa morador em acerto de tráfico de drogas na fronteira
Boliviana indiciada após tragédia com voo da Chape pede refúgio em MS

De acordo com os promotores, em março deste ano, uma mulher procurou à sede do Ministério Público em Amambai dizendo que estava gestante e fez o pré-natal no posto de saúde do município, com previsão de parto para outubro, em diante.

A paciente relatou ainda que passou a sentir fortes dores e sabendo que estava prestes a ganhar neném foi ao médico, por três vezes, sendo atendida por três médicos, que a orientaram a aguardar a data prevista inicialmente.

No dia 17 de outubro, com dores fortes, a mulher voltou ao hospital e foi recebida pela equipe médica dizendo que o parto seria normal, mesmo a paciente pedido para que fosse cesárea pois não tinha condições de esperar mais.

O parto normal aconteceu no dia 18 e após 16 dias de vida a criança teve uma febre alta. Levada ao médico, o exame de raio x revelou que o bebê estava com infecção no pulmão, em decorrência provável do atraso em que aconteceu o parto e pelo tempo de bolsa irrompida. Depois de uns dias a criança morreu.

O promotor de Justiça titular da Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude e dos Direitos Constitucionais encaminhou vários ofícios ao secretário de saúde solicitando informações para que o caso fosse esclarecido, mas não foi atendido com informações detalhadas.

O Campo Grande News entrou em contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura, que se comprometeu a dar uma resposta sobre o assunto ainda hoje. 

Boliviana indiciada após tragédia com voo da Chape pede refúgio em MS
A boliviana Celia Castedo Monasterio, indiciada pelo Ministério Público de seu país por ter autorizado o plano de voo da Chapecoense, com saída em Sa...
Hospital Universitário de Dourados alerta para golpe do falso médico
Falso médico estaria agindo em nome do HU-UFGD (Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados) e nesta segunda-feira entrou em co...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions