A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

04/10/2013 21:26

Pai de aluna que brigou na rua diz temer morte de meninas

Vinícius Squinelo

O pai de uma das meninas que brigou na Escola Estadual Doutor Gabriel Vandoni de Barros, no bairro Maria Leite, em Corumbá, afirmou que teme a morte da filha, como caso semelhante em Campo Grande recentemente. A briga acabou no Youtube, e virou polêmica na internet.

Veja Mais
Alunas de escola estadual brigam e postam vídeo na internet
Clima é tranquilo em escola que será aplicado Enem para 488 alunos

O pai, que prefere não se identificar para manter a filha no anonimato, esteve na tarde de hoje (4), na na Delegacia de Atendimento a Infância, Juventude e Idoso de Corumbá.

Ao Diário Corumbaense, ele contou que ficou sabendo da briga envolvendo a filha dele somente nesta sexta-feira, quando assistiu ao vídeo. "Fiquei assustado e impressionado, com as imagens. Minha filha mora com a mãe dela. A menina está machucada e me contou que tinha brigado na escola", disse ele.

O pai informou ter procurado a mãe da outra adolescente para conversar sobre a situação e ouviu que a briga teria ocorrido por conta dos "ajuntamentos" da filha dele e que "um vestido" seria o motivo do desentendimento.

Ainda segundo o Diário Corumbaense, na escola, ele foi informado que a filha, de 13 anos, foi punida com suspensão de três dias, assim como a outra garota. Ele ainda ficou sabendo que o aluno que divulgou os vídeos na internet também teria sido suspenso pelo mesmo período.

"Chamei a mãe para registrarmos o boletim de ocorrência, já morreu uma em Campo Grande numa situação dessa e temos que tomar as medidas necessárias. Nenhuma delas - adolescentes - tem razão", argumentou ao se referir à morte, por esfaqueamento, da adolescente Luana Vieira Gregório, 15 anos, ocorrida em 11 de setembro durante briga na saída de uma escola estadual na Capital.

O pai disse ainda que a filha nunca teve problema como esse na escola. Ele supõe que a garota pode estar sendo discriminada pelo fato de ser nova naquele colégio. "Não sei o que posso dizer, ela é nova na escola. Não sei se é preconceito porque está lá faz pouco tempo. Ela nunca teve problemas nem relatos de violência", concluiu.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions