A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2017

23/11/2010 19:14

Para CDDH, volta de cassetete para Unei é "inadmissível"

Jorge Almoas

Para o CDDH (Centro de Defesa dos Direitos Humanos) Marçal de Souza, a decisão do juiz Danilo Burin, e a postura neutra do Ministério Público Estadual, sobre a volta das tonfas (espécie de cassetetes) para uso na Unei provisória instalada na antiga Colônia Penal agrícola, na saída para Aquidauana, são "inadmissíveis".

“O juiz autorizou um retrocesso e o MP se fez de Pôncio Pilatos. São dois equívocos inadmissíveis e o CDDH vai se pronunciar contra”, declarou Paulo Ângelo de Souza, presidente do centro.

Na avaliação de Paulo, a autorização dada pelo juiz da Infância e Juventude Danilo Burin para a devolução de cinco tonfas vai contra a decisão anterior do MPE, que proibiu o uso dos meios repressivos.

“É como voltar no tempo. Os adolescentes deixam de receber atendimento sócioeducativo previsto na legislação e são mantidos em ambiente repressor. Enquanto isso, o ministério público, ao invés de agir, lava as mãos e se cala. Por isso, estamos entrando hoje com representação no MP. Se ele não agir, alguém terá que impedir esse equívoco”, complementou o presidente do CDDH.

Ao invés da criação de um ambiente repressor aos adolescentes mantidos nas Uneis, o governo do Estado, na avaliação do CDDH, precisa oferecer formação continuada para os agentes de medidas socioeducativas, atualizar salários e promover concurso para preencher a defesagem no quadro de funcionários.

Paulo cita o caso de uma das rebeliões na Unei provisória, quando cinco agentes tomavam conta de 90 adolescentes. “É irreal o que acontece lá”.

"Tropa de elite" – O CDDH pretende avaliar melhor a proposta do governo do Estado, que criou o Grupo de Escolta, Proteção e Segurança para atuar nas Uneis. O presidente do centro de defesa dos direitos humanos enxerga a iniciativa como uma maneira de suavizar um problema, ao invés de resolvê-lo.

“Estão transformando os agentes em verdadeiros capitães do mato, aqueles que cuidavam de escravos. Estão legalizando as agressões, os maus tratos”, afirma Paulo.

De acordo com o secretário de Justiça e Segurança Pública, o curso para formação da chamada “Tropa de Elite das Uneis” deve acontecer no início de 2011, com turma de 25 agentes.

Adolescente morre ao ser esfaqueado por cunhado durante velório
Jonardo Irala, 17, foi morto com uma facada na altura do peito durante discussão com o cunhado, enquanto participavam de um velório que acontecia na ...
Empresa terá de pagar R$ 30 mil à viúva de caminhoneiro morto em acidente
A viúva de um caminhoneiro de Nova Andradina, município a 300 km de Campo Grande, vai receber R$ 30 mil em indenização pela morte do marido, ocorrido...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions