A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

23/06/2013 11:29

Para salvar acordo, Índios desocupam fazenda depois de pedido de caciques

Aliny Mary Dias

Após conversa com caciques e lideranças indígenas, o grupo que ocupou a Fazenda Água Clara em Sidrolândia na tarde de ontem (22) saiu das terras no fim da noite. De acordo com o líder Alberto Terena, de 43 anos, o grupo não sabia do acordo firmado entre autoridades, ruralistas e lideranças indígenas.

Veja Mais
Indígenas quebram acordo e voltam a invadir fazenda em Sidrolândia
Após deslizamento e risco a usuários, MS-295 é totalmente interditada

A área pertence ao produtor rural Afrânio Pereira e não há informações se o fazendeiro saiu da propriedade após a ocupação.

Alberto afirma que o grupo não chegava a 100 índios e entrou na propriedade sem comunicar os caciques. Os indígenas pertencem às aldeias Olho d’água e Água Azul.

O líder conta que quando os caciques souberam da ocupação, foram até a fazenda e conversaram com o grupo. Os índios seguiram as orientações e deixaram a Fazenda Água Clara por volta da meia noite.

Acordo – Segundo a Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), o acordo e entidades ruralistas, governo do Estado, lideranças indígenas, entidades ligadas à Igreja Católica, o ministro Chefe da Casa Civil, Gilberto Carvalho, Funai e outras autoridades firmaram o acordo na última quinta-feira (20).

Na região de Sidrolândia, principalmente na região da Aldeia Buriti, já são mais de 20 invasões registradas, sendo que a fazenda Buriti, do ex-deputado Ricardo Bacha, teve sua sede incendiada e completamente destruída pelos indígenas da etnia terena, que mantém ações de invasões em diversos municípios de Mato Grosso do Sul.

Indígenas quebram acordo e voltam a invadir fazenda em Sidrolândia
Indígenas quebraram o acordo e voltaram a invadir a fazenda Água Clara, na tarde desse sábado (22), em Sidrolândia. O acordo havia sido firmado na úl...
Justiça bloqueia bens de ex-prefeito e mais oito por fraude em licitação
A Justiça Federal bloqueou R$ 1.743.189,84 em bens de Edvaldo Alves de Queiroz, o Tupete, ex-prefeito de Água Clara, a 198 quilômetros de Campo Grand...



belo discurso o deles, ninguém me avisou, nada sei.. nada fiz e desculpa pelo transtorno e ponto!
 
Caio Prado em 23/06/2013 17:40:46
Até que enfim os índios descobriram que têm de respeitar a constituição brasileira.
 
ines valadares em 23/06/2013 16:21:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions