A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

28/12/2011 16:31

Polícia flagra acampamento de pescadores no rio Paraguai

Nadyenka Castro

Foram apreendidos materiais de pesca, entre eles rede. Pescadores fugiram e não foram localizados

Acampamento onde estavam os pescadores. (Foto: Divulgação/ PMA)Acampamento onde estavam os pescadores. (Foto: Divulgação/ PMA)
Material apreendido pelos policiais. (Foto: Divulgação/ PMA)Material apreendido pelos policiais. (Foto: Divulgação/ PMA)

A PMA (Polícia Militar Ambiental) flagrou nesta quarta-feira um acampamento de pescadores no rio Paraguai, na região conhecida como bracinho, em Corumbá, a 419 quilômetros de Campo Grande.

Os policiais faziam fiscalização pelo rio quando avistaram o acampamento e rede de pesca, o que é proibido. Os pescadores fugiram do local e não foram localizados.

Foram apreendidos: duas redes de pesca, cem metros cada, com malha 18, um barco de madeira, com azul, de 4,8m, um barco de madeira, cor verde, de 5m, quatro remos de madeira, três caixas de isopor, uma barraca, fit panda, uma rede de dormir, com mosquiteiro, duas panelas, uma sacola com materiais de cozinha, duas lanternas, uma faca, um par de botas de branca, um celular, uma calça da farda do Exército Brasileiro, uma gandola da farda da Marinha do Brasil, um cobertor, uma garrafa térmica de dois litros e dois quilos de filé de pintado. O material recolhido foi encaminhado à Polícia Federal.

A pesca com utilização de rede e a captura de pescados abaixo das medidas, não são permitidos, conforme prevêem as leis de crimes ambientais.

Além disso, está proibido pescar nos rios do Estado por conta do período Piracema, época de reprodução dos peixes, que se estende até o dia 28 de fevereiro de 2012.

A pena para o crime ambiental é de detenção, de um a três anos, ou multa, ou ambas as penas cumulativamente.

Pedestre é atropelado na calçada por veículo que disputava racha
Homem de 26 anos sofreu fratura no crânio e várias escoriações após ser atropelado quando transitava por volta das 3h30 de hoje (10) por uma calçada ...
Carreta da Justiça realiza 368 atendimentos na terceira etapa do projeto
Em oito dias de atendimentos da Carreta da Justiça em Taquarussu - município localizado a 332 km de Campo Grande -, o projeto do TJ-MS (Tribunal de J...



É tudo muito estranho esses caras devem ser velocistas ou fugiram de jato. ganharam o serrado que nem foguete. Sei não.
 
Nilson André dos Santos em 31/12/2011 10:02:07
Os pescadores fugiram do local e não foram localizados. ããããnnn??????

como assim fugiram do local? de 2 uma
ou falta informação ou os policiais nao quizeram apreender os suportos pescadores que "fugiram"
e como diz o comentário do luiz fernandes, os policiais conhecem cada barco, eles sabem ate quem anda com eles!

estou aguardando mais informações dessa matéria!
Obrigado
 
Luciana Castilho em 30/12/2011 11:50:28
os policiais da regiao conhecem cada barco, eles sabem ate quem anda com eles, e igual a um carro de um conhecido voce ve o cara todo dia com ele.
 
luiz fernandes em 30/12/2011 08:42:25
ESTÁ FÁCIL LOCALIZAR ESSES "PESCADORES"! Com o celular achado rastreiem as ligações e torres usadas que rapidinho encontra o dono!
Outra: está provado que não são pescadores com vara e anzol que destroem o estoque pesquerio do estado. Esses bandidos acabam com os peixes em suas redes e pescador com vara, anzol e licença é quem paga o pato (só o pato porque peixes nos rios do MS estão acabando!).
 
André Ruiz em 30/12/2011 08:04:44
Agora só falta identificar os pescadores, se os barcos tivessem que ser documentados quando são comprados não teria este problema, a policia chegaria de maneira rapida e facil aos pescadores ilegais.
 
MAXIMILIANO NAHAS em 29/12/2011 10:25:37
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions