A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

10/02/2015 12:30

Polícia Militar vai vigiar bairros para coibir brigas de gangue durante folia

Viviane Oliveira
Audiência foi realizada na última sexta-feira (6), na Câmara Municipal de Jardim. (Foto: divulgação) Audiência foi realizada na última sexta-feira (6), na Câmara Municipal de Jardim. (Foto: divulgação)

Após onda de violência que resultou em três mortes em janeiro, a Polícia Militar vai vigiar as saídas de bairros para coibir brigas de gangue no Carnaval de Jardim, distante 233 quilômetros de Campo Grande. Em audiência na Câmara Municipal, realizada na última sexta-feira (6), vereadores, autoridades de segurança pública e comunidade elaboraram documento que será enviado ao MPE (Ministério Público Estadual). O texto pede mais qualidade de vida para os moradores e visitantes da cidade turística. Como Bonito não vai ter Carnaval este ano, a Prefeitura espera cerca de 15 a 20 mil foliões por noite na cidade.

Veja Mais
Após três homicídios, Câmara fará audiência para discutir sobre violência
Homem tem pescoço cortado e é encontrado morto em rodoviária

A Polícia Militar vai intensificar o policiamento e ações nas saídas dos bairros para evitar confronto entre gangue e coibir ainda a venda de bebida alcoólica para menores. Em entrevista ao Campo Grande News no mês passado, o prefeito Erney Cunha Bazza Barbosa (PT) prometeu montar uma força-tarefa para garantir a segurança dos foliões na Praça de Encontro. Toda a festa será monitorada por câmeras e 50 seguranças particulares foram contratados, 10 a mais que no ano passado. 

Violência - Em apenas 17 dias três homicídios envolvendo adolescentes foram registrados na cidade. Na madruga do dia 25 de dezembro, Paulo Henrique foi morto a golpes de faca no banheiro da Praça Municipal, que fica na Avenida Duque de Caxias, no Centro. A vítima foi atingida no tórax e chegou a ser socorrida, mas morreu no hospital. O acusado de ter cometido o crime é um adolescente de 16 anos e Igor Fonseca da Silva, 18 anos. O menor usou uma faca de açougueiro para ferir o rapaz.

No dia 11 de janeiro, o professor aposentado Wagner Brum Trindade, 69 anos, foi atingindo por uma bala perdida durante briga, também envolvendo menores. Ele estava em frente a uma casa na rua Padre Manoel da Nóbrega, na Vila Angélica, quando três rapazes de bicicleta, um de 19 anos e dois adolescente de 17 anos, se aproximaram do local e o maior começou a atirar.

Por último, no domingo (12), Hellison Igor Mercedes Gomes, 16 anos, foi morto com um golpe de faca na região abdominal. O crime aconteceu na Rua Doutor Ary Coelho de Oliveira, em frente da conveniência Baturite, no Centro. A vítima chegou a ser levada para o hospital, mas morreu. O suspeito de ter cometido o crime, um menor de 15 anos, confessou e foi apreendido no mesmo dia. Conforme a polícia, as mortes foram causadas por brigas de gangue. 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions